Sítio dos Pintos reclama da falta de ações pela Prefeitura do Recife

 
Em meio ao risco de barreiras desabarem, necessidade de manutenção nas canaletas da comunidade, a espera da construção da praça de eventos, falta de calçamento e terreno baldio causando transtornos, trazem uma sensação de abandono aos moradores de Sítio dos Pintos, na zona noroeste do Recife.
 
Nas ruas São Pedro, São João, Nossa Senhora de Fátima, São José, Alto Bom Jesus e Parque Santa Maria, é nítido ver as canaletas quebradas, infiltrações e sem nenhuma ação de manutenção. Eles são obrigados a conviver com a água das canaletas passando por dentro das suas casas, e até mesmo as infiltrações passam por dentro dos muros de arrimo e barreiras da localidade.
 
Segundo, a moradora Ana Oliveira, que mora no bairro há mais de 20 anos, informa que nunca viu uma melhoria. “Nas eleições, eles vem aqui, prometem tudo e a nossa situação quando chove são as ruas alagadas e as canaletas que continuam quebradas, inclusive entrando água dentro da nossa casa” afirmou Ana, 38 anos.
 
Já o morador Robson Santos, 36 anos, pai de dois filhos, diz que o único lazer que seus filhos têm é dentro de casa. Ele informou que um terreno abandonado servindo para entulhos deveria ser para a praça e academia da cidade, prometido pela Prefeitura do Recife.
 
“Tenho bem perto da minha casa um local que poderia ser a nossa praça que só serve para juntar lixo com o aumento de ratos e escorpiões. Meus filhos são obrigados a brincar dentro de casa ou em frente ao meu portão, porque a Prefeitura não quer construir a praça. Ai eu pergunto, para onde está indo o nosso dinheiro?” desabafou Robson que vive há 15 anos no bairro.
 
Diante dessas reclamações, esperamos que a Prefeitura do Recife, através das secretarias responsáveis por cada área citada no poste resolva os problemas que mostra o abandono de ações básicas de infra estrutura, manutenção e

Demora constante dos ônibus em Dois Irmãos e Sítio dos Pintos

 
Os moradores dos bairros de Sítio dos Pintos e Dois Irmãos ficam ainda mais aborrecidos quando, se falar em transporte público. Eles afirmam que a demora dos ônibus é absurda, uma peregrinação diária para ter acesso a outras opções de linhas e ao transporte público de qualidade na região.
 
Para a moradora, Paloma Santos, 25 anos, o problema é antigo e sem solução. Os ônibus não passam no horário programado, deixando os moradores irritados.
"Se você tiver um compromisso com hora marcada e não pode se atrasar, o jeito é sair bem cedo de casa, caminhar cerca de 10 minutos para ter mais opções. Porque se for esperar por estes ônibus, você não cumpre sua obrigação. As empresas que fazem a linha no bairro não respeitam as pessoas. Estamos cansados de reclamar e não sermos atendidos". Falou a usuária e estudante, Paloma, moradora de Sítio dos Pintos.
 
Já o morador, João Santos, 42 anos, o descanso é tal grande que os grupos da comunidade já se reuniram várias vezes com o Grande Recife e gerentes das empresas de ônibus, e nada muda.
"Sabemos que o trânsito da nossa cidade é um caos, mas não justifica a demora dos ônibus. Foram diversas vezes nas empresas e no Grande Recife em reuniões, e eles não resolvem nada, por que é bairro pobre. Aqui a gente paga muitos impostos e queremos um transporte de qualidade que respeite os usuários". Disse o usuário e pedreiro, João, morador do Córrego da Fortuna.
 
Outro morador, Fernando Costa, 48 anos, denunciou que as empresas de ônibus utilizam o quadro de horário antigo para atender o bairro.
"Essas empresas de ônibus daqui fazem o que quer, pois eles não têm fiscalização rigorosa, por parte do Governo Estadual. A gente já reclamou muitas vezes e nos últimos anos a coisa piorou. O quadro de horário dos ônibus é antigo de 5 anos atrás e ainda as empresas não tem ônibus suficientes para atender a demanda que nos últimos anos só fez crescer". Afirmou o usuário e professor, Fernando, morador de Sítio dos Pintos
 
Diante dessas reclamações, esperamos que o Governo do Estado de Pernambuco, através da secretaria e órgão responsáveis por cada área citada no poste resolva os problemas que mostra o desrespeito aos usuários do transporte público.