CASAS CONSTRUÍDAS EM ÁREA DE PRESERVAÇÃO

Reportagem flagra casal derrubando árvores a machadadas em Sítio dos Pintos, bairro da Zona Norte do Recife incluído na Zona Especial de Proteção Ambiental. Um dos maiores fragmentos florestais do Recife, na Zona Norte, está sendo ocupado por casebres. A mata, em Sítio dos Pintos, é vizinha à comunidade Alto Bom Jesus, que tem como zona de expansão a área verde. Ontem, o JC flagrou o corte de árvores típicas do ecossistema, reduzido a menos de 6% no Nordeste. Um casal derrubava, a machadadas, galhos e troncos de árvores. As casas improvisadas se expandem em direção à floresta num ritmo intenso. “Cheguei aqui há três meses e não tinha esses barracos aí embaixo”, diz a auxiliar de serviços gerais Maria da Conceição Feliciano Coelho. 

Maria da Conceição se refere a três casas com paredes de placas de metal, plástico e madeira erguidas sobre o chão de barro batido. “Levantei meu barraco há um mês”, confirma a dona de casa Claudia Cristina Bezerra de Barros. As cercas são feitas de arame farpado e as estacas, de galhos de árvores nativas. O esgoto dos casebres escorre para um córrego que corta o fragmento de mata atlântica. As habitações contam com água encanada, desviada da rede de abastecimento e a energia vem de gambiarras. O lixo, quando não se acumula nas encostas já ocupadas, desliza em direção à vegetação.Os moradores garantem que nenhum órgão de fiscalização visitou o local, de difícil acesso. “Aqui? Nem prefeitura, nem Ibama, nem CPRH. Nunca teve ninguém”, diz um comerciante da entrada do Algo Bom Jesus, que pediu para não ser identificado. 

Segundo ele, a área pertence à Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Não há cercas, tampouco placas. Pela localização, trata-se da Zona Especial de Proteção Ambiental (Zepa) Sítio dos Pintos. Há 25 Zepas na cidade. Compostas por manguezal, mata atlântica ou lagoas, figuram como unidades de conservação no planejamento urbano do Recife. No decreto de criação das Zepas, a do Sítio dos Pintos figura como, quase na totalidade, pertencente à URFPE. De acordo com a legislação municipal, nas Zepas é proibido o parcelamento do solo, bem como a retirada de vegetação remanescente de mata atlântica ou de outro ecossistema, em qualquer estágio de regeneração. Também só são permitidos usos e intervenções físicas que garantam a sustentabilidade e a preservação dos sistemas naturais. 

LUGAR PACATO E UM POVO PRECISANDO DE MAIS DIREITOS


A camunidade de Sítio dos Pintos faz parte do RPA3, limita-se com os bairros Dois Irmãos, Caxangá e com o município de Camaragibe, é um bairro do Recife, capital do estado brasileiro de Pernambuco. Os seus moradores são predominantemente de baixa renda, embora possua também moradores da classe média-alta (que moram no Condomínio Privê Dois Irmãos ou em granjas do bairro). Água encanada está acessível à maioria dos moradores, porém,o abastecimento por redes de esgoto é inexistente. O bairro possui criminalidade alta, e a maior parte das casas estão situadas em morros. Possui a maior taxa de crescimento geométrico anual do Recife e uma população jovem, além de 14% de sua população ser analfabeta no ano 2000, enquanto que, na mesma época, o Recife possuía 10%.

RÁDIO DO POVO EM SÍTIO DOS PINTOS

O Projeto Rádio do Povo continua suas atividades, cada semana em um bairro do Recife. A repórter Amanda Machado esteve no Sítio dos Pintos, em Dois Irmãos, ouvindo as dénuncias dos moradores da comunidade. As principais preocupações da população são relacionadas ao saneamento básico, segurança e transporte. No Blog dos bastidores da Rádio Jornal, você pode conferir vídeos, mais fotos e as denúncias dos moradores do Sítio dos Pintos.

DESMATAMENTO DAS ÁREAS VERDES DA ZONA NORTE DE RECIFE


Nos ultimos anos, a poluição do ar que respiramos está crescente e o calor aumentando, portanto, é necessário organizar as pouquissimas áreas verdes existentes em Recife. O Instituto Pelópidas Silveira, órgão vinculado à Prefeitura da Cidade do Recife, divulgou um relatório informando as áreas verdes na capital pernambucana. Segundo o relatorio, o bairro da Guabiraba, na Zona Norte, tem cerca de 75% da sua área coberta por árvores, e o maior e mais arborizado bairro da cidade. 

De acordo com o documento a metade da área verde do Recife está nos bairros de Apipucos, Casa Forte, Dois Irmãos e Sítio dos Pintos. Estes dois ultimos bairros, estão pedendo a sua pouca área verde decorrente do desmatamento, por parte de uma parcela da população local. Os órgãos responsaveis pela fiscalização precisam ficar atendos e monitorar a região, pois, a cada dia as ações de desmatamento das áreas verdes vai crescendo.

O grupo de moradores de Sítio dos Pintos, à Compasp, já divulgou "Nota de denúncia e pedido de combate ao desmatamento na região da Zona Norte do Recife" no dia 9 de janeiro de 2009, confira na integra:

NOTA

A Comissão Pró-Arraial do Sítio dos Pintos (Compasp) e demais organizações populares, vêm, através dessa nota pública, denunciar o descaso e solicitar o combate do desmatamento da Reserva Florestal de Dois Irmãos e a mata de Sítio dos Pintos que a cada dia estão sendo vitimas da falta de conscientização ambiental dos moradores.


Na maioria das vezes os moradores não identificam nos atos de sobrevivência, os crimes contra o Patrimônio Público e Ambiental, ocorrida como nas ações de desmatamento para a criação de casas, construção de áreas de cultivo de alimentos e posse de terreno.

Em relação à queimada que aconteceu nos dias 8 e 9 de janeiro de 2009, na Reserva Florestal, na Guabiraba, lamentamos o ocorrido, pois sabemos que nesse período do verão os riscos são muitos, e as pessoas precisam estar sensibilizadas sobre esses riscos, principalmente os moradores que tem casas vizinhas de reservas e matas.

Então reforça a importância dos órgãos governamentais fazer uma campanha urgente de sensibilização sobre as áreas ambientais protegidas por lei e outras áreas particulares que estão próximas a estas reservas. Além de uma fiscalização permanente, a criação de um plano de ações em conjunto com as comunidades ao entorno das reservas e oficinas de conscientização ambiental.

Finalmente lembramos que os governos (Municipal, Estadual e Federal) e a Sociedade têm uma grande divida com as questões ambientais. A cidade do Recife é uma das capitais rica em áreas verdes. Nós que moramos em áreas desse tipo, somos privilegiados e precisamos unir forças para que futuramente, venhamos ficar sem essas reservas e assim aumentar os problemas de saúde.

COMISSÃO PRÓ-ARRAIAL DO SÍTIO DOS PINTOS

SAIU NO JORNAL - "SÍTIO DOS PINTOS SEM ÁGUA HÁ 5 MESES"


Há três anos, o bairro do Sítio dos Pintos, na Zona Norte do Recife, enfrentava situações complicadas. A caixa d’água que abastece toda a comunidade apresentava rachaduras e estava descoberta, desta forma contaminava a água. Para resolver esse problema, os próprios moradores resolveram fazer uma limpeza no equipamento e tampá-la. De acordo com eles, a Compesa há muito tempo não vai ao local fazer vistorias. Como se esses problemas não bastassem, há cinco meses o bairro está sem abastecimento, deixando até o posto médico, que atende a comunidade, sem funcionar.

“Em 2009 entramos em contato com a Compesa reclamando da situação na caixa d’água, e terminamos tendo que resolver tudo por conta pró­­pria. Agora, com a falta d’água, já tentamos falar com eles (Compesa) oito vezes e eles dizem que está tudo normal, não nos dão satisfação e nem nos recebem mais”, reclama o líder da comunidade, José Severino da Silva.
 
Para terem acesso à água potável, os moradores precisam descer escadarias para chegar até um local próximo da comunidade, depois subir carregando baldes cheios. Dificuldade para Margarida da Silva, de 65 anos, que sofre de pressão alta e diabetes, ela cuida da casa sozinha. Ela conta que essa rotina já lhe trouxe problema. “Uma vez fui buscar água lá embaixo e acabei escorregando. Machuquei o braço e tive que engessar. Não tem outro jeito de ter água potável, não tenho dinheiro para comprar água mineral. Tenho que buscar todo dia para poder sobreviver”.
 
Para a moradora Inês Alves, 62, esse problema teve início após um buraco aberto pela Compesa. “Antes nós tínhamos água normal aqui, depois que a Compesa fez isso a gente ficou sem abastecimento. Eles falaram que o buraco era para colocar um registro, mas achamos que a culpa de estarmos sem água é justamente dele (buraco). A questão é que nós estamos corretos, nós pagamos nossas contas em dia e isso é uma falta de respeito com a comunidade. Já perdi as contas de quantas vezes tive que sair de meia-noite para buscar água”, reclama Inês.
 
A assessoria de Imprensa da Compesa informou que o abastecimento da localidade é realizado através de um poço, cuja bomba apresentou defeito recentemente. A Companhia já providenciou a substituição do equipamento, que deverá ocorrer até amanhã. A Compesa já elaborou também um projeto para que a localidade seja abastecida pelo Sistema Tapacurá, o que permitirá uma melhora considerável no abastecimento da área. O projeto inclui a implantação de rede distribuidora e na instalação de um booster (um tipo de bomba para dar mais pressão na distribuição de água). A previsão é de que a obra seja iniciada dentro de três meses.

NOTA ABERTA PARA A COMUNIDADE, PREFEITURA E GOVERNO DE PERNAMBUCO

Nós, moradores e moradoras do bairro de Sítio dos Pintos, vêm através dessa nota aberta, se puncionar e sugerir o local para a nova e futura Academia da Cidade do Recife – em Sítio dos Pintos. Um possível local foi sugerindo por alguns, citando o Campo de Futebol que imediatamente nós nos pronunciamos contra por vários motivos decorrente dos diversos problemas existente de infraestrutura na localidade (falta de saneamento, rede de esgoto, contenção de encostas, drenagem, acessibilidade, iluminação, segurança, entre outros). Nós, temos a plena compreensão que o campo já é um equipamento público, garantido pela luta da comunidade e também da própria Constituição Federal, com isso, o povo precisa cobrar dos governantes da área de esporte da cidade e do Estado para requalificar/reformar este espaço de prática desportiva, não aceitar a diminuição do campo. 

Esta nota aberta tem a proposta de transmitir uma sugestão eficiente e responsável com a vida das pessoas, este terreno privado (Marroquinos) que estamos sugerindo esta localizado numa via principal da comunidade, com grande fluxo de pessoas, transporte, tendo residencias próximas, e por fim com uma acessibilidade de forma geral. Nós, queremos que o recurso público seja bem aplicado para que todos os moradores tenham a possibilidade de utilizar este espaço democrático e de valorização da vida que é a construção da Academia da Cidade. A nossa proposta não é sonhadora, pode até ser, mas também é realidade e muito mais econômica para o Estado – que precisa executar as ações para a população, esses que são sujeitos de direitos. Nesse caso o Governo do Estado e a Prefeitura do Recife tem o dever, a obrigação e a definição política de realizar a implementação da Academia da Cidade em nosso bairro com o compromisso de construir o futuro no presente, avançar a cidade, assim cuidando do seu povo – ratificando a importância desse equipamento público que breve será construído no terreno dos Marroquinos, não um espaço exclusivo para todos que moram em Sítio dos Pintos, mas sim, para toda região, ao Recife e a Pernambuco. 

Esse terreno privado que estamos sugerindo na comunidade para ser a futura Academia, há muitos anos não tem um utilidade, a não ser para o abandono, a proliferação de doenças, da dengue, ruidores, e etc., com a certeza absoluta que os moradores desejam a construção de um equipamento público – com espaços para eventos, atividades, exercícios físicos e demais ações de esporte e lazer, educativas e religiosas. Achamos importante reforçar a necessidade de construir nesse local um espaço que possibilitará a integração das crianças, adolescentes, jovens, adultos e pessoas idosas, além de diversos serviços, equipamentos, projetos, programas e outros bens públicos no que diz respeito a qualidade de vida da nossa gente e dos direitos fundamentais da população, principalmente os moradores mais vulneráveis a situação de risco e acreditamos que este caminho é o certo de fazer abertamente o dialogo democrático para a construção coletiva, pois, colocando o povo como protagonistas dessa conquista para o nosso bairro. No ano de 2009, a construção de uma praça ficou entre as 10 prioridades no Orçamento Participativo da Microrregião 3.1 para ser realizada pela Prefeitura do Recife. 

Portanto, solicitamos do Governo do Estado e Prefeitura do Recife um maior empenho para a compra do terreno já citado para levantar a futura Academia da Cidade em nosso bairro, assim com um diálogo político e transparente, juntos iremos fazer uma cidade melhor, um estado mais justo e uma nação de todos nós, tendo a certeza que o excelentíssimo governador Eduardo Campos, prefeito João da Costa, secretario Danilo Cabral e secretario Gustavo Couto vão desempenhar uma das funções de uma gestor público que é ouvir o povo e possibilitar a execução de uma obra não só de concreto, e sim, de melhoria nas condições de sobrevivência e qualidade de vida dos homens e mulheres, que na história de Sítio dos Pintos, sonham com um cartão postal, com um lugar que garanta o acesso ao esporte e lazer, à diversão, à cultura e ao bem-estar. 

Sítio dos Pintos – Recife, 13 de março de 2012.

NOTA PÚBLICA DA COMUNIDADE DE SÍTIO DOS PINTOS AO GOVERNO DE PERNAMBUCO

Nota de repúdio e solicitação de resposta do Grande Recife e do Governo do Estado de Pernambuco 

A Comissão Pró-Arraial do Sítio dos Pintos (Compasp) vêm, através dessa nota pública, denunciar o descaso e solicitar esclarecimentos por parte do Governo do Estado e do Grande Recife Consórcio de Transporte (antiga EMTU) sobre o Projeto de Construção de um novo Terminal de Ônibus na comunidade de Sítio dos Pintos, na Zona Norte do Recife. O projeto teve aprovação do Conselho de Moradores de Sítio dos Pintos, sugerindo um terreno privado da comunidade, que há 10 anos os moradores desejam a construção de uma praça pública com espaços para eventos, esporte e lazer nesse terreno. 

Nós da Compasp já encaminhamos vários ofícios e um abaixo-assinado para o diretor-presidente do Grande Recife, pedido um diálogo para esclarecer este fato, pois os moradores já votaram duas vezes a construção da referida praça no Orçamento Participativo (OP) do Recife. Este ano a construção de uma praça ficou entre as 10 prioridades no OP da Microrregião 3.1 para a Prefeitura do Recife, fazer na comunidade, no terreno sugerido pelo Conselho de Moradores de Sítio dos Pintos, até porque, a comunidade já tem um terminal de ônibus. 

Com isso, queremos do Grande Recife e do Governo do Estado o cancelamento da construção de um novo terminal em Sítio dos Pintos, que até agora, não tivemos nenhum retorno dos ofícios que foram protocolados na recepção do Grande Recife, pedindo um diálogo político e transparente, assim, juntos procuraremos uma solução agradável e consensual. Termos a certeza que o excelentíssimo governador Eduardo Campos e os seus secretários não irão autorizar um projeto em que a população não é informada, esclarecida e, principalmente, ao qual a comunidade posiciona-se contra, porque na história de Sítio dos Pintos os moradores sonham com uma praça como um cartão postal, com acesso ao lazer, à diversão, à cultura e ao bem-estar.

COMISSÃO PRÓ-ARRAIAL DO SÍTIO DOS PINTOS

SÍTIO DOS PINTOS PROMOVE POLO CARNAVALESCO E ESTIMULA O TURISMO COMUNITÁRIO


Este ano, o carnaval do bairro de Sítio dos Pintos, na Zona Norte de Recife, entrará mais uma vez no roteiro da folia da cidade. Os grupos, entidades e artistas da comunidade, realizará o segundo ano do Polo Carnavalesco de Sítio dos Pintos na semana do Carnaval. Os foliões terá apresentações de artistas, bandas, agremiações e grupos, e a criançada uma Matinê Infantil com manifestações culturais. O Polo acontecerá no domingo, segunda e terça de Carnaval (19 a 21 de fevereiro), das 17:00h às 00:00h, na Rua Prefeito Agostinho Nunes Machado, em frente a Igreja Católica de Sítio dos Pintos. A grade de programação do Polo contará com vários ritmos, para todos os gostos e públicos, proporcionando o acesso ao direito a cultura e estimulando o turismo comunitário. 

Serviço: 

Domingo (19/02) 
Banda Afásico (Rock Alternativo) 
Henrique Filho (Regional) 
Grupo Amigos do Samba (Samba) 

Segunda (20/02) 
Matinê Infantil (Troça Carnavalesca “As Desmilinguidas” e Movimento Fazendo Arte)*
João Alves e Banda Vertical (Frevo) 
Banda Bac Santana (Regional) 
Grupo Simples Melodia (Samba) 

Terça (21/02) 
Os Bolados da Mídia (Regional) 
Banda Balakê (Swingueira) 
DJ Cleiton e DJ Bolado (Brega)

*Matinê Infantil – Na segunda-feira (20), a partir das 16h, terá uma programação especial para as crianças, o Projeto “Matinê Infantil” com apresentações culturais, concurso do rei e rainha, passista, brincadeiras e jogos populares, além de muito frevo e animação cultural com educadores sociais.