ELEIÇÃO // EDUCADORES SÃO CONTRA ADIAMENTO

Reportagem BRUNO BASTOS
Os servidores da educação que trabalham nas escolas municipais do Recife compareceram ao plenário da Câmara dos Vereadores do Recife na manhã de ontem para protestar contra a proposta da secretaria municipal de Educação de adiar para junho de 2010 a eleição direta dos novos diretores e vice-diretores das unidades educionais, marcada para 30 de novembro. Segundo a professora Anna Cristina Davi, do Sindicato dos Professores Municipais do Recife (Simpere), o objetivo da manifestação é denunciar o descumprimento da lei 17.090, do ano de 2005, que regula o processo eleitoral das escolas municipais. No último dia 4 de novembro, a Secretaria de Educação enviou uma proposta de alteração da lei para ser analisada pelo sindicato e pelo Conselho Municipal de Educação (CME), que vetaram a mudança. Anna Cristina explicou que a lei atual realmente não atende aos critérios definidos pela categoria na Conferência Municipal de Educação, realizada entre 28 e 31 de agosto, e precisa ser mudada, mas é contra o adiamento da votação. “Nós estamos de acordo com as discussões para alterar a lei, mas queremos que elas aconteçam depois do processo eleitoral. Adiar a votação por seis meses vai ser prejudicial, porque já existem chapas que se candidataram e esses professores podem sofrer represálias dos atuais diretores”, relatou. A educadora Viviane Freitas ressaltou que o grupo escolheu a data de ontem para ir à Câmara porque o prefeito João da Costa era um dos convidados de uma sessão especial em homenagem aos 300 anos da casa; o prefeito, no entanto, não compareceu e mandou o secretário de Coordenação Política, Roberto Arrais, como representante. Segundo ele, o projeto de alteração da lei das eleições diretas foi encaminhado para discussão na Comissão de Educação da Câmara e deve ser debatido na semana que vem. “Estamos pensando o projeto com todos os segmentos, desde os profissionais de educação até o poder legislativo”, salientou Arrais. Em nota oficial, a Secretaria de Educação da Prefeitura do Recife defende o adiamento das eleições diretas devido às necessidades de aperfeiçoar o processo e incluir sugestões recebidas na conferência e no conselho de educação já realizados.
Fonte: Folha de Pernambuco (www.folhape.com.br)