SÍTIO DOS PINTOS // OBRA DO ALTO BOM JESUS VAI SAIR DO PAPEL

RESULTADO DE JULGAMENTO DE RECURSO ADMINISTRATIVO INTERPOSTO NA FASE DE PROPOSTAS DE PREÇOSTOMADA DE PREÇOS Nº 032/2009 - CPL/URB-RECIFE - PROCESSO Nº 049 - OBJETO: execução das obras de contenção de encostas, escadaria e drenagem do Alto Bom Jesus, RPA 03, MR 3.1 - Sítio dos Pintos, nesta cidade. A Comissão Permanente de Licitação avisa e comunica a todos os interessados, e para todos os fins e efeitos legais, que após avaliação e análise do recurso administrativo interposto pela empresa Planalto Pajeú Empreendimentos Ltda., ao qual não foi dado provimento, restou mantida a decisão anterior permanecendo como VENCEDORA a empresa Encoserv Construções Ltda. Eduardo Pessoa da Silva - Presidente da Comissão Permanente de Licitação.

Fonte: Diário Oficial (21/11/2009)

ELEIÇÃO // EDUCADORES SÃO CONTRA ADIAMENTO

Reportagem BRUNO BASTOS
Os servidores da educação que trabalham nas escolas municipais do Recife compareceram ao plenário da Câmara dos Vereadores do Recife na manhã de ontem para protestar contra a proposta da secretaria municipal de Educação de adiar para junho de 2010 a eleição direta dos novos diretores e vice-diretores das unidades educionais, marcada para 30 de novembro. Segundo a professora Anna Cristina Davi, do Sindicato dos Professores Municipais do Recife (Simpere), o objetivo da manifestação é denunciar o descumprimento da lei 17.090, do ano de 2005, que regula o processo eleitoral das escolas municipais. No último dia 4 de novembro, a Secretaria de Educação enviou uma proposta de alteração da lei para ser analisada pelo sindicato e pelo Conselho Municipal de Educação (CME), que vetaram a mudança. Anna Cristina explicou que a lei atual realmente não atende aos critérios definidos pela categoria na Conferência Municipal de Educação, realizada entre 28 e 31 de agosto, e precisa ser mudada, mas é contra o adiamento da votação. “Nós estamos de acordo com as discussões para alterar a lei, mas queremos que elas aconteçam depois do processo eleitoral. Adiar a votação por seis meses vai ser prejudicial, porque já existem chapas que se candidataram e esses professores podem sofrer represálias dos atuais diretores”, relatou. A educadora Viviane Freitas ressaltou que o grupo escolheu a data de ontem para ir à Câmara porque o prefeito João da Costa era um dos convidados de uma sessão especial em homenagem aos 300 anos da casa; o prefeito, no entanto, não compareceu e mandou o secretário de Coordenação Política, Roberto Arrais, como representante. Segundo ele, o projeto de alteração da lei das eleições diretas foi encaminhado para discussão na Comissão de Educação da Câmara e deve ser debatido na semana que vem. “Estamos pensando o projeto com todos os segmentos, desde os profissionais de educação até o poder legislativo”, salientou Arrais. Em nota oficial, a Secretaria de Educação da Prefeitura do Recife defende o adiamento das eleições diretas devido às necessidades de aperfeiçoar o processo e incluir sugestões recebidas na conferência e no conselho de educação já realizados.
Fonte: Folha de Pernambuco (www.folhape.com.br)

CIDADÃO REPORTER // Comunidade quer conta d'água com taxa social

Sítio dos Pintos - Moradores tinham poço próprio, que passou a ser administrado pela Compesa e reclamam agora da instalação de hidrômetros individuais nas suas residências.
Ana Paula Neiva
Água nas torneiras, mas pagando apenas a taxa social. É assim que a comunidade do Sítio dos Pintos, em Dois Irmãos, espera que a Compesa faça a cobrança pelo fornecimento.
Maria José Moreira diz que, com o hidrômetro individual, a maioria dos moradores não tem condição de pagar o valor da conta de água.
Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press
Os moradores alegam que possuem poço próprio desde 1986 e, por isso, acreditam que devam pagar apenas a taxa social, que hoje é de R$ 8,56. A construção do poço foi uma conquista da comunidade mas, desde a década de 1990, sua administração vem sendo conduzida pela Compesa. No entanto, há um ano, a companhia deu início à instalação dos hidrômetros individuais para então regulamentar a cobrança do fornecimento de acordo com o consumo de cada um. O que tem deixado os moradores apreensivos. "A questão é que a Compesa em nenhum momento se reuniu ou convocou a gente para apresentar e debater a proposta. O Sítio dos Pintos é uma comunidade carente e tem um poço de água próprio e os moradores já pagam a conta de água", denunciou o cidadão-repórter Zé Alberto, o Betinho do Sítio dos Pintos.
Ontem, a reportagem do Diario esteve na comunidade. A presidente do Conselho de Moradores, Maria José Moreira, contou que o poço foi construído pela antiga Companhia Integrada de Serviços Agropecuários (Cisagro), em 1986, no governo de Miguel Arraes. "Ficamos dois anos cuidando da manutenção dos serviços mas, como a bomba às vezes quebrava e ficávamos sem ter como fazer o conserto, em 1989, entregamos a administração à Compesa", esclareceu a líder comunitária. Agora, segundo ela, a companhia de abastecimento está querendo cobrar pelo serviço de forma diferenciada. "Ora, somos uma comunidade carente, as pessoas que vivem aqui são assalariadas, biscateiros e desempregados. Ninguém tem condições de pagar tão caro pelo consumo de água. Não somos contra a cobrança, queremos apenas pagar um preço mais justo", argumentou.
De acordo com Maria José, há pelo menos 50 moradores que já tiveram o hidrômentro instalado em suas residências. "Tem gente que pagava a taxa mínima de R$ 21, e agora, está pagando R$ 150", comentou. A dona de casaValéria Maria da Silva, moradora da Avenida Arnaldo Paes de Andrade, é uma delas. Residindo na casa de número 60, desde março, ela está preocupada com as contas de água. "Mês passado, veio quase R$ 75. Assim, não tenho condições de pagar o aluguel de R$ 230, mais a conta de água", confessou a mulher, que já procura outro imóvel para se mudar. Valéria diz que tem feito racionamento dentro de casa por acreditar que o relógio do hidrômetro instalado em sua casa gira muito rápido. "Vejam como ele funciona", mostrou a dona de casa, ligando a torneira do jardim.
Segundo o morador, Sebastião Lira, 54, a Compesa nunca dialogou amplamente. "Estão impondo a colocação dos hidrômetros", alegou. A comunidade do Sítio dos Pintos tem uma população de 5,660 habitantes, segundo dados do IBGE/Censo de 2000. A localidade integra a 3ª Região Político-Administrativa do Recife, formada por um total de 29 bairros. Encravada entre os bairros de Caxangá e Dois Irmãos, faz divisa com o município de Camaragibe, ocupando uma área de 178 hectares.
Equilíbrio - O diretor comercial da Compesa, Décio Padilha, explicou que a instalação do hidrômetro individual é indispensável para viabilizar o equilíbrio no abastecimento do sistema em Sítio dos Pintos. "Desde outubro fizemos uma reunião com a comunidade e decidimos que faríamos um recadastramento geral da tarifa social, o que já está sendo feito", esclaeceu. Segundo ele, para ser enquadrado na tarifa social, o morador precisa consumir apenas 10 metros cúbicos de água por mês, ter um consumo de energia elétrica de até 80 quilowats, residir em um imóvel de até 60 metros quadrados, e estar inserido em algum programa social do governo. "Só podemos ter o controle do consumo, se tivermos como fazer a medição. Por isso, estamos instalando os hidrômetros. Como é que a gente vai saber se é ou não tarifa social?", questionou.
O diretor comercial lembrou de uma pesquisa realizada pela Compesa, onde verificou-se que o consumo médio de residências de pequeno porte, que não possuíam hidrômetro e tiveramo equipamento instalado, correspondeu a 28 metros cúbicos de água. "Já pegamos consumo de até 40 metros cúbicos", completou. Décio Padilha garantiu que a instalação dos equipamentos e o recadastramento não está sendo cobrado aos consumidores.
Fonte: Diário de Pernambuco (http://www.diariodepernambuco.com.br/)

TRANSPORTE // USUÁRIOS RECLAMAM DE SERVIÇO PRESTADO POR EMPRESA DE ÔNIBUS

Demora, ônibus lotado e irritação, esses são as sensações sentidas todos os dias pelos usuários que vão para Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e as comunidades adjacentes, nos bairros de Dois Irmãos e Sítio dos Pintos. As linhas de ônibus Dois Irmãos/Rui Barbosa e Sítio dos Pintos/Dois Irmãos da empresa Transcol que serve aos usuários da UFRPE e moradores dos bairros Dois Irmãos e Sítio dos Pintos vem sendo alvo de reclamações há muito tempo. Os problemas já começam nas primeiras horas da manhã, quando a maioria dos ônibus que passa próximo a Universidade já vem lotados do terminal, o que faz com que muitos usuários das linhas passem mais de meia-hora na parada. Se a situação é complicada durante a semana, nos finais de semana a situação para os moradores da área piora ainda mais. Como sempre acontece uma redução na frota de ônibus que serve os usuários de transporte coletivo na capital, os ônibus das Linhas 524 e 522 demoram ainda mais. Os ônibus chegam a demorar entre 40 minutos e 1 hora. As organizações das comunidades já tentaram marcar encontros com a empresa Transcol para dialogar sobre estes problemas e também as questões de responsabilidade social da empresa com os moradores e usuários das linhas.

DENÚNCIA // BOCA NO TROMBONE

Crianças falam do maior problema da comunidade no momento, a insegurança. O grande problema da comunidade de Sítio dos Pintos, no bairro de Dois Irmãos, no Recife, preocupam até mesmo as crianças da comunidade. Apesar de ter apenas 14 anos, Flávia Azevedo já tem uma explicação para a violência no bairro. “Depois que fechou o posto policial começou a ter assalto e até execução”, diz. O antigo posto foi desativado pela Secretaria de Defesa Social. “Se a gente tivesse mais atividades culturais, acesso a várias ações educativas, e mais esporte e lazer a violência diminuiria”, afirma Alex Tavares, também de 12 anos.

DIVERSÃO // FESTA DO DIA DAS CRIANÇAS AGITA A COMUNIDADE

O Sítio dos Pintos ficou repleto de muita alegria, diversão, brincadeiras, jogos e atrações, no dia 12 de outubro. Em comemoração ao Dia das Crianças, foi realizada a festa no Parque Santa Maria, que contou com a presença de centenas de participantes e apoio de vários comerciantes e moradores. As crianças desfrutaram momentos de muito alto astral e diversão nos jogos e brincadeiras realizados no campo da mata, degustando de cachorro quente, picolé, confeitos, doces, pipocas e ganharam muitos brinquedos. A festa iniciou pela manhã e foi até a noite, teve várias apresentações culturais e sucessos infantis.

COMPESA // COMUNIDADE CONTRA A COLOCAÇÃO DE HIDRÔMETRO

A comunidade de Sítio dos Pintos já se reuniu duas vezes para discutir a questão da colocação hidrômetro, que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) esta propondo aos moradores, pois assim, a comunidade vai economizar água e pagar as contas de água em dia. Segundo o morador, Sebastião Lira, 54 anos, a Compesa nunca dialogou amplamente com a comunidade. “A questão é que a Compesa em nenhum momento se reuniu ou convocou a gente para apresentar e debater a proposta. Pois o Sítio dos Pintos é uma comunidade carente, tem um poço de água própria e os moradores já pagam à conta de água”. Já a moradora Severina Arruda, 48 anos, diz: “O poço de água é uma conquista da comunidade, foi transferido para a Compesa só administrar, e ficar responsável sobre o recolhimento da contribuição dos moradores com o pagamento da taxa mínima”. Atualmente a taxa social é o ideal para a comunidade.

ASSASSINATO // JOVENS NEGROS SÃO AS MAIORES VÍTIMAS EM PERNAMBUCO

Preconceito e discriminação racial. Essas palavras não fazem parte somente do cotidiano dos quase 4,8 milhões de pessoas negras que existem em Pernambuco. O Alersson Teixeira, de 23 anos, jovem e negro, acredita que com a criação de políticas públicas voltadas para mostrar que a discussão existe é o principal passo para o reconhecimento da comunidade negra que existe na sociedade. “Só assim podemos criar estratégicas de mudança, lutar pela igualdade de direitos”. Hoje, integrante do Fórum da Juventude Negra do Estado, busca soluções para o atual índice de mortalidade de jovens negros. De acordo com o Índice de Homicídios na Adolescência (IHA), a probabilidade de ser assassinado é quase 12 vezes maior quando o adolescente é do sexo masculino do que do feminino. O risco é, também, quase três vezes maior para os jovens negros, quando comparados aos brancos. O IHA revela que 45% das mortes de adolescentes entre 12 e 18 anos são provocadas por homicídio. Já os crimes cometidos no Recife, 68% são contra jovens entre 15 a 29 anos. Desses, 92% das vítimas são jovens negros, segundo dados da Central de Inquéritos do Recife do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

CIDADANIA // MULHERES DE SÍTIO DOS PINTOS ESTÃO TENDO FORMAÇÃO POLÍTICA

 
A ONG Cidadania Feminina e Fórum das Mulheres de Pernambuco estão promovendo um Curso de Formação Política para as mulheres, moradoras da comunidade de Sítio dos Pintos. Serão oito encontros de formação, e ainda elas vão visitar delegacia e centro de referência de atenção as mulheres. 

No final da formação vão realizar um apitaço para dar visibilidade do enfrentamento da violência contra as mulheres. O curso está acontecendo na sede da Comissão Pró-Arraial (Compasp) na Rua São Pedro, nº. 80, próximo a Escola Mundo Esperança. O Grupo Mulheres de Sítio dos Pintos tem a coordenação de Tereza e conta com a participação de 30 mulheres (jovens e adultas).