ESPETÁCULO RETRATA A INFLUÊNCIA DO POVO NEGRO NA DANÇA POPULAR

Com um dinamismo e um dançar irreverente, o Grupo Balé Chegança esta com o seu mais novo espetáculo de dança Quem me chamou - A influência do povo de matriz africana na dança popular em cena. Trata-se de um espetáculo de matriz africana e dança popular em conjunto com atividades espontâneas de expressões cênicas visuais e musicais, aliadas ao conjunto de idéias, crenças, conhecimentos e costumes. Neste contexto, os elementos humano-branco, negro e índio, unirão suas tradições proporcionando um quadro de danças das mais belas e mais ricas em todos os setores folclóricos. As coreografias irreverentes, mas sem deixar de preservar a originalidade dos passos e danças, retratam o folclore por assim dizer “alma do povo que se manifesta”. Exalta os folguedos populares de maneira informativa, criativa, dinâmica e de fácil compreensão, onde todos os segmentos da sociedade tenham acesso. O espetáculo criado para preservar, valorizar e difundir os aspectos da cultura negra e daí tornarem-se, uma referência de uma roupagem de qualidade m espetáculos.

Quem me Chamou é um palco popular, espontâneo tradicional, anônimo, funcional, coletivo, atual e sabedoria popular. O grito do povo negro pela sua história, sua crença e sua cultura popular. Em cartaz no Teatro Armazém 14, no dia 24/07, às 20h, e no dia 26/07, às 16h, com as participações especiais do Afoxé Obá Airá e DJ Embolata. O espetáculo é um resultado artístico pedagógico de 30 jovens do Balé Chegança do Movimento Cultural Fazendo Arte (MCFA) que durante um ano pesquisaram e trabalharam a origem do povo de matriz africana a partir da realidade da comunidade onde moram. MCFA - O Movimento Cultural Fazendo Arte foi fundado em 12 de fevereiro de 2000, através do contato do arte-educador Genivaldo Francisco com um grupo de rapazes que viviam na comunidade em situação de risco social. O objetivo do coreógrafo era fazer algo que transformasse a vida daqueles rapazes. Em oito anos de existência, o movimento vem encontrando nas diversas expressões artísticas e culturais o caminho e a força para mobilizar os jovens, contribuindo para que cada participante construa sua identidade. Atualmente o grupo tem 250 jovens que estão divididos em seis grupos culturais, nas áreas de dança, teatro e música. A entidade promove a inclusão de adolescentes e jovens em situação de risco social, estimulando a auto-estima através da arte, na comunidade San Martin, localizada na zona oeste do Recife.