Reunião no Planalto definirá data da conferência de comunicação

A data para realização da 1ª Conferência Nacional de Comunicações será definida em reunião, no Palácio do Planalto, na próxima terça-feira (3). A realização do evento este ano, cobrada por diversos setores da sociedade desde 2007, foi acertada no início desta semana entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro das Comunicações, Hélio Costa. A reunião técnica prevista para o dia 3 será coordenada pelo ministro Luiz Dulci (Secretaria Geral) e deverá definir ainda os pontos para operacionalização da conferência, que terá como principais temas a democratização da comunicação e políticas públicas para o setor. Representantes do Minicom e da Casa Civil também devem participar. A 1ª Conferência Nacional de Comunicações debaterá os rumos da uma nova legislação do setor, sobretudo um novo código para a radiodifusão, já que o atual data de 1962 e está completamente defasado frente as novas tecnologias, como avaliam empresários e técnicos do setor. No orçamento da união de 2009 estão previstos R$ 8,2 milhões para apoio à realização de conferências estaduais e nacional de Comunicação. A emenda foi apresentada pela Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara.

Fontes: Tele.Síntese

PREFEITURA DE BELÉM NÃO PROMOVE PASSEIO NO POEMA

O navio que iria transportar os convidados

O prefeito de Belém, Duciomar Costa, convidou os jornalistas credenciados no Fórum Social Mundial para uma programação receptiva que iria ser promovido pela Prefeitura de Belém neste sábado, dia 31, em passeio no navio Antônio Lemos, pela Baía do Guarajá até a Ilha de Mosqueiro, com saída do Trapiche do Programa Pobreza e Meio Ambiente na Amazônia (POEMA), localizado na Universidade Federal do Pará (UFPA), às 9 horas.

Mais, ao chegar ao local de saída os jornalistas forão informados por uma das Agentes de Transporte da Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBEL) que não iria acontecer o passeio, pois não estava informada, depois de meia hora chega a confirmação do cancelamento. ´´O Gabinete do Prefeito pediu desculpas pelo transtorno, por não realizar o evento, pois o navio que iria transportar os jornalistas e o próprio prefeito, estava quebrado, e o outro, transportando pessoas da UFPA para uma outra localidade´´.

A programação era gratuita e tinha como proposta oferecer conhecimento sobre a realidade amazônica, os povos ribeirinhas e a integração homem x natureza, além das ações públicas que chegam a essas populações. O passeio teria música ao vivo, danças folclóricas e um almoço a bordo do navio. A assessoria de comunicação da Prefeitura de Belém não estava presente no local e foi a que comunicou aos jornalistas através de uma sugestão de pauta no Setor de Imprensa do FSM.

Trabalho e sociabilidade em pauta no FSM

Além da realidade amazônica, o evento contou com a reflexão sobre a realidade do sudeste brasileiro, Moçambique, Angola e Portugal.

Pesquisadores de quatro países lusófonos se reuniram na tarde desta quarta-feira (28), durante o Fórum Social Mundial, para discutir sobre sociabilidade e trabalho nos tempos atuais. O evento foi uma realização do Projeto “Organizações, trabalho e sociabilidade no contexto da mundialização: integração de estudos em Moçambique, Angola, Portugal e Brasil (Amazônia)”. O Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Pará (PPGCS) participou da programação com exposições de pesquisas que aplicam as temáticas ao contexto local.

A professora Ida Lenir Gonçalves, da UFPA e da FAP (Faculdade do Pará), apresentou a pesquisa que realizou nos supermercados de Belém, analisando como se dá a sociabilidade entre os trabalhadores. Dentre as características que verificou, destacam-se as relações para além do ambiente de trabalho, em que a confiança e as semelhanças de cargo e sexo são fatores importantes de aproximação.

Já a professora Angélica Alberto do Espírito Santo, do PPGCS, expôs alguns aspectos identificados na pesquisa que está realizando sobre a precarização do trabalho dos artistas paraenses. O corpus do estudo abrange os músicos da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz e os atores do Grupo Cuíra. “Em ambas as situações, o trabalho é mal remunerado e não há proteção das leis. Os artistas acabam pagando para fazer arte”, é a conclusão preliminar da pesquisadora.

Além da realidade amazônica, o evento contou com a reflexão sobre a realidade do sudeste brasileiro, Moçambique, Angola e Portugal. “Eu destacaria duas coisas na discussão feita. Primeiro, a que trata de estudos pertinentes e atuais sobre as consequências da globalização em países distintos, mas de mesmo idioma. E segundo, as que são estudos empíricos e mostram os vários impactos desse processo de crise do capitalismo”, aponta o professor José Maria Carvalho Ferreira, do Instituto Superior de Economia e Gestão de Portugal.

Em linhas gerais, as discussões apontaram para as novas relações de trabalho, que se caracterizam por serem flexíveis, instáveis e precárias. Neste contexto, surgem também novas formas de sociabilidade, por exemplo, as associações, os grupos e as cooperativas de trabalhadores. Identificar e analisar como esses aspectos acontecem nos quatro países mencionados são os objetivos principais dos pesquisadores do projeto.

Suzana Lopes, Assessoria de Comunicação da UFPA

A VOZ DO POVO

Falta creche para as crianças do Sítio dos Pintos

Do Jornal do Commercio

Passado o período de licença-maternidade, é comum que as mães procurem onde deixar os filhos pequenos para poder voltar ao trabalho. As creches são, muitas vezes, a solução para esse problema. Mas no bairro do Sítio dos Pintos, na Zona Norte do Recife, muitas mulheres deixam de trabalhar ou, as que podem, pagam babás particulares para cuidar dos filhos. É que no bairro não há nenhuma creche municipal e, segundo moradores, a reivindicação é antiga. A denúncia foi apurada pelo projeto Rádio do Povo, da Rádio Jornal.

“Nós queremos trabalhar, mas não temos onde deixar nossos filhos. Do pouco que ganhamos, temos que tirar para pagar a uma pessoa para cuidar das crianças”, reclama Andreza Alves, mãe de uma menina de 4 anos.

Jaílma Soares enfrenta a mesma dificuldade. Ela tem três filhos, sendo um deles com 2 anos de idade. Além de sustentar a casa com o salário de empregada doméstica, uma parte do dinheiro é destinado ao pagamento de uma babá. “Tenho que pagar, pois não posso ficar sem trabalhar. Se tivesse uma creche aqui no bairro, seria bem melhor. O dinheiro que tiro faz falta no final do mês”, explica.

A auxiliar de serviços gerais, Rosenilda Andrade, precisou desistir do emprego por não ter onde deixar os três filhos. “Eles iam para a creche de Apipucos, que é a mais perto daqui, mas, mesmo assim, ainda é muito longe. Como não tinha mais condições de pagar as passagens de ônibus, saí do emprego para ficar com eles. Tive que esperar eles crescerem para voltar a trabalhar”, diz.

MEIO AMBIENTE – Nota de denúncia e pedido de combate ao desmatamento da Reserva de Dois Irmãos

NOTA A Comissão Pró-Arraial do Sítio dos Pintos (Compasp) e demais organizações populares, vêm, através dessa nota pública, denunciar o descaso e solicitar o combate do desmatamento da Reserva Florestal de Dois Irmãos e a mata de Sítio dos Pintos que a cada dia estão sendo vitimas da falta de conscientização ambiental dos moradores. Na maioria das vezes os moradores não identificam nos atos de sobrevivência, os crimes contra o Patrimônio Público e Ambiental, ocorrida como nas ações de desmatamento para a criação de casas, construção de áreas de cultivo de alimentos e posse de terreno. Em relação à queimada que aconteceu nos dias 8 e 9 de janeiro, na Reserva Florestal, na Guabiraba, lamentamos o ocorrido, pois sabemos que nesse período do verão os riscos são muitos, e as pessoas precisam estar sensibilizadas sobre esses riscos, principalmente os moradores que tem casas vizinhas de reservas e matas. Então reforça a importância dos órgãos governamentais fazer uma campanha urgente de sensibilização sobre as áreas ambientais protegidas por lei e outras áreas particulares que estão próximas a estas reservas. Além de uma fiscalização permanente, a criação de um plano de ações em conjunto com as comunidades ao entorno das reservas e oficinas de conscientização ambiental. Finalmente lembramos que os governos (Municipal, Estadual e Federal) e a Sociedade têm uma grande divida com as questões ambientais. A cidade do Recife é uma das capitais rica em áreas verdes. Nós que moramos em áreas desse tipo, somos privilegiados e precisamos unir forças para que futuramente, venhamos ficar sem essas reservas e assim aumentar os problemas de saúde. Sítio dos Pintos – Recife, 9 de janeiro de 2009. COMISSÃO PRÓ-ARRAIAL DO SÍTIO DOS PINTOS

SEGURANÇA

Moradores de Dois Irmãos querem colaborar com o Pacto pela Vida
Os moradores do Sítio dos Pintos, em Dois Irmãos, apontam a falta de segurança como um dos principais problemas da comunidade. A denúncia foi feita pelo cidadão-repórter Josedaradio. Segundo ele, os adolescentes são as principais vítimas de assaltos em plena luz do dia. A comunidade tem uma estatística própria e informa que já foram registrados, de setembro do ano passado até ontem, um total de 14 assaltos. A comunidade quer saber de que forma pode colaborar com o Pacto pela Vida do governo do estado para coibir a violência. A Secretaria de Imprensa do estado informou que os moradores podem entrar em contato com o coordenador do pacto, José Luiz Raton, na vice-governadoria, na Avenida Cruz Cabugá, na próxima quinta-feira. Esta nota saiu na edição de 06/01/2009 no DP - Editoria Vida Urbana - Cidadão Reporter.

CIDADANIA

Prefeitura de Caruaru terá uma Secretaria Especial da Mulher
Um bom exemplo para outros municípios. A Prefeitura de Caruaru terá uma Secretaria Especial da Mulher. A boa notícia foi anunciada no fórum colaborativo do pernambuco.com pelo cidadão- repórter José da Rádio (Zé Alberto - O Betinho de Sítio dos Pintos). Ele explica que a ex-diretora da UNE Louise Carolibe foi indicada para a pasta. A indicação veio recheada de elogios da atual diretora de Mulheres da UNE, Liana Queiroz. "O debate e a pauta feminista serão fortalecidos em Caruaru e no estado de Pernambuco. A Louise fará um grande trabalho à frente da secretaria fazendo um debate com uma ampla relação com os movimentos sociais", afirmou. É o que as mulheres de Caruaru esperam. Boa sorte e bom trabalho é o que desejam os internautas. Esta nota saiu na edição de 06/01/2009 no Diário de Pernambuco - Editoria Vida Urbana - Cidadão Reporter.