CASO EDUCAÇÃO // PROBLEMAS NA GESTÃO DA SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO ESTÃO AUMENTANDO A CADA DIA E PREOCUPANDO TODA COMUNIDADE EDUCACIONAL DO RECIFE

Os problemas na gestão da Secretária de Educação, Esporte e Lazer do Recife (SEEL) vem crescendo e deixando toda equipe no mal estar político, pois tudo tem que passar no gabinete do secretário, Cláudio Duarte, dificultando as relações de autonomia de alguns diretores e assessores. O desgaste a cada dia está aumentando e algumas pessoas principais da equipe gestora estão entregando o cargo, como é o caso do assessor-adjunto, Flávio Brayner, e a diretora de Ensino e Formação Docente, Ângela Monteiro, que foram convidados pessoalmente pelo atual secretário de Educação, para fazer parte da sua equipe como cargo de confiança, mais em menos de um ano, já deixaram o cargo.

Segundo informações as saídas são decorrentes por não concordarem com os encaminhamentos definidos pelo secretário em relação à Política Educacional da cidade e não se sentirem motivados em relação as propostas educacionais do atual secretário, que efetivamente, não contribui com a construção da cidadania plena e ativa das crianças, adolescentes, jovens e adultos da Rede Municipal de Ensino do Recife. Além de que outros gestores (assessores, gerentes e diretores) vão entregar os cargos, que também não estão concordando com as atitudes do secretário a frente da SEEL, e os educadores da Rede Municipal de Ensino, divulgaram várias cartas relatando as preocupações e os vários problemas que estão tendo em realizar as ações planejadas da secretaria.

Estes problemas demonstra que a brinca está grande na Prefeitura do Recife, pois alguns gestores da SEEL são especialistas na área educacional e ligados ao ex-prefeito, João Paulo, que se afastou do atual prefeito, João da Costa. O ex-assessor executivo e a diretora de Ensino da SEEL divulgaram uma carta para todos/as educadores/as da Rede Municipal de Ensino.

PROBLEMAS NA GESTÃO DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO RECIFE

SECRETÁRIO-DJUNTO PEDIU PARA SAIR, DIRETORA DE ENSINO É A PRÓXIMA E EDUCADORES DIVULGAM CARTA RELATANDO PROBLEMAS NA GESTÃO DO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO RECIFE O secretário-adjunto, Flávio Brayner, pediu pra sair da Secretaria de Educação do Recife. Segundo informações a próxima a sair é a diretora de Ensino, Ângela Monteiro. Já os educadores da Rede Municipal de Ensino divulgaram uma carta com várias dificuldades na gestão do secretário de Educação, Cláudio Duarte.

CARTA DA EDUCAÇÃO MOSTRA AS DIFICULDADES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO

1. A quem interessar possa Há 12 meses – ou seja, 01 ano - de exercício do mandato pela atual gestão, nosso sentimento é de perplexidade. Ao avaliarmos os encaminhamentos que vêm sendo dados à Política Educacional, percebemos um progressivo distanciamento do que foi elencado, discutido e aprovado para a Educação no Recife como ações a serem consolidadas na gestão 2009 a 2012. Nossa preocupação é com a continuidade e o avanço da Política Educacional construída e desenvolvida ao longo dos 08 anos da gestão passada, por um governo identificado como radicalmente democrático, que se caracterizou por inverter prioridades, no sentido de garantir, efetivamente, como “grande obra”, o “cuidar das pessoas”, prioritariamente, dos mais carentes e menos assistidos. É importante salientar que este projeto político, implementado desde 2001 e em contínuo avanço até 2008, foi referendado através da eleição em 1º turno do candidato que representaria a continuidade do mesmo projeto, destacando-se a Educação como o setor mais bem avaliado pela população recifense, não por acaso, o mais agredido pela oposição na campanha eleitoral de 2008. 2. Fatos e razões de nossa perplexidade De cara, nos intriga a indicação para a pasta da Educação de alguém que, não sendo desta seara quer por formação nem quer experiência, pretende administrar um projeto educacional, não só sem conhecê-lo suficientemente, como declaradamente avesso a “perder tempo” com questões de ordem teórica, as quais ele deixa a cargo do seu Secretário Adjunto... Enquanto este se esmera em reunir as várias Diretorias e Gerências, para a elaboração da nova proposta pedagógica, o Secretário mesmo nunca foi sequer a uma reunião. Sem entrar no mérito do processo de escolha do Secretário, que com certeza, pouco ou nada teve de democrático, nos perguntamos se é possível gerenciar a Educação de um município sem conhecer sua proposta político-pedagógica, isto é, sem conhecimento de causa?... Estamos assistindo estarrecidos a uma sucessão de medidas e decisões tomadas na base do achismo e até do grito, de maneira absolutamente centralizadora, autoritária e desrespeitosa das instâncias competentes e das pessoas responsáveis de cada Diretoria e de cada Gerência, o que vem desestimulando qualquer encaminhamento mais seriamente fundamentado e qualquer iniciativa mais coerente e eficaz, do ponto de vista das reais exigências do processo educativo. É impressionante a arrogância, a prepotência e a truculência do atual gestor, traços típicos de uma personalidade patológica e insegura, que não escuta ninguém, que simplesmente manda, tratando com descaso tudo o que foi planejado, decidindo tudo sozinho, sem nunca, em 11 meses, ter reunido aequipe. O Secretário nem sequer se dá o trabalho de participar integralmente dos eventos maiores da própria Secretaria ou daqueles aos quais comparece representado a mesma: só participa do momento mesmo da abertura e logo se vai embora, numa demonstração evidente de que tudo mais em nada lhe interessa... Enquanto isso, a Educação, no Recife, está parada, entre outros fatores, por uma enorme morosidade no fornecimento dos insumos que tem amarrado o desenvolvimento dos trabalhos. O Ano Letivo "Recife, Cidade Educadora", que poderia ter propiciado ricas e diversificadas iniciativas e oportunidades de educação, a partir de tudo quanto nesta cidade se oferece de sugestivo ficou, quando muito, só no discurso e talvez nem isso. 2.1 – Quanto ao acesso à Educação Fundamental de qualidade A universalização do acesso à Educação Fundamental de qualidade reduz-se apenas a ampliar a Educação Infantil com 40 CEMEI’S?... Como ficam as oportunidades de aprendizagem que foram relegadas e abandonadas por serem marcas do passado e o presente exige novos projetos para consolidação de uma NOVA MARCA?... 2.2 – Quanto à Valorização dos Profissionais da Educação A valorização do Profissional de Educação está diretamente associada às conquistas de melhores salários e condições de trabalho. A este respeito, não desconhecemos a presteza com que certas reivindicações da categoria vêm sendo atendidas, mas nos parece uma prática tipicamente populista e demagógica, quando, algo que é igualmente essencial e elementar, a Formação Continuada, vem sofrendo brusca e injustificável quebra de continuidade. É justo e louvável que uma nova proposta político-pedagógica esteja sendo construída coletivamente, sob a direção do Secretário Adjunto, com participação de todas as Gerências da DIRE. Mas é simplesmente descabido e irresponsável que se deixe de dar o devido suporte de recursos para a continuidade das ações que vinham sendo conduzidas com seriedade de métodos e eficácia de resultados, na gestão 2005/2008, como se devesse começar do “0” e o que vem da gestão passada simplesmente devesse morrer de inanição, ficando o professorado, ao longo de todos estes meses, privado de importantes oportunidades de formação. E como fica a realização dos projetos e programas de acompanhamento da prática pedagógica?... Como avaliar a falta de clareza a utilização dos recursos da SEEL, que, pela boca do Secretário, são muitos e “está tudo em azul”: onde está sendo aplicado o recurso do FUNDEB para a formação dos professores?... - Não realização do programa de formação com educação e cultura a Conexão 17 em julho na abertura do 2º semestre, criada na perspectiva de favorecer a formação integral para garantia de um ensino aprendizagem que também respeite o princípio da integralidade. Tal ação foi realizada dia 01/12 num dia letivo prejudicando a participação dos professores e tendo conseqüências na aplicação da Lei dos 200 dias letivos. 2.3 – Quanto ao programa de estímulo à leitura O Programa “Manoel Bandeira” de incentivo à Leitura sofreu grande baixa na promoção das atividades nas escolas, em virtude da não contratação dos estagiários mediadores de leitura, por falta de autorização do secretário. Como também se identifica uma séria mudança de concepção quando apenas as escolas que já possuem biblioteca estruturada receberam bônus da Bienal do livro, para ampliar e diversificar seu acervo, ficando as escolas deficitárias ainda mais impotentes no que se refere a esta atividade. 2.4 – Quanto às Políticas de acesso, permanência e inclusão. A pressão para obter uma nova marca nestes programas é tão forte que o Brasil Alfabetizado até de nome mudou. Agora é “Lição de Vida”. No entanto, está mais para “Deus Proverá”, com tanto marketing e pouca identificação com a pedagogia do Oprimido. Quanto ao Projovem, pela 1ª vez não conseguiu superar a meta, sequer a atingiu no tempo hábil, em virtude da não liberação dos recursos para mobilização e informação da população, sendo necessária a ampliação do prazo de inscrição. Este programa foi vitrine de eficiência no Recife na gestão passada. 2.6 – Quanto às Políticas de inclusão digital Identificamos que o conceito de política de inclusão digital também tem se distanciado do aprovado anteriormente, pois temos conhecimento de que até de secretaria esta política pode mudar passando a ser realizada pela do Desenvolvimento Econômico. Parece até que a concepção vigente não identifica inclusão digital e acesso às tecnologias de informação e comunicação para cidadania, como processo educativo. Por este motivo, também, se acredita que não existe necessidade de professor para esta formação cidadã, podendo ser contratada qualquer prestadora de serviço para realização desta ação. 2.7 – Quanto às Ações Educativas Complementares Todos os que estamos a para do que anda ocorrendo com a Gerência de Animação Cultural e, mais especificamente, com o Programa de Animação Cultural por ela implementado, nos perguntamos qual a razão do seu sistemático escanteamento por parte do Secretário Cláudio Duarte... A impressão que se tem tido é de que a GAC e o PAC devam se acabar porque deram certo demais na gestão passada, não só pelo trabalho permanente de educação complementar, a partir das atividades artísticas e lúdicas desenvolvido pelos Animadores e Animadoras no âmbito das escolas, com os Grupos Culturais das várias Linguagens, como pela brilhante atuação que têm tido nos eventos maiores da SEEL, quanto ainda pela visibilidade que têm dado à SEEL em eventos outros de âmbito regional ou nacional. Perdeu-se toda a autonomia e poder de iniciativa. Tudo precisa ser autorizado pessoalmente pelo Secretário. E as potencialidades de uma atuação necessariamente dinâmica e criativa vão indo pro brejo... É incrível que ao serem exaradas as metas da Educação para 2010, no item “Ações Complementares” o nome da GAC e do PAC sequer apareçam. Terá sido decretado o seu desaparecimento do cenário da Educação nesta cidade?... 2.8 – Quanto à ampliação e garantia do acesso aos bens culturais para os estudantes a partir da escola: - A extinção da política pública de acesso aos bens culturais através das excursões pedagógicas, com, pelo menos 06 ônibus/ano para todas as escolas da rede. Tal ação agora é definida pelo Gabinete diretamente via Secretário que utiliza os ônibus como benesse para aquelas escolas que tem proximidade com ele via política de balcão que rechaçamos, pois não acreditamos que este seja o caminho para a efetivação de uma política democrática e participativa. - A forma de política de fazer política de balcão do atual Secretário está levando a uma segregação da rede municipal de ensino, que agora tem um núcleo de gestoras que são próximas ao Secretário e com as quais o mesmo negocia as benesses diretas numa clara demonstração de beneficiamento de algumas em detrimento de outras. Algumas escolas (muito poucas – umas 10) tiveram liberação de ônibus direto do Gabinete para passeios fora da cidade, passeios estes sem ser para estudantes nem professores e sim para amigos e amigas das diretoras tidas como as “amigas do rei”, o chamado Dr. Cláudio Duarte. 2.7 - Questionamentos que se impõem diante fatos preocupantes Acostumados a pensar Educação como educação integral, com justiça social e acesso democratizado os fatos, que pensar da criação de uma única escola modelo com equipamentos de última geração, ou seja, seguindo a lei da sociedade em que vivemos onde poucos têm tudo e muitos não têm nada?. Que pensar da implementação de serviços terceirizados no processo de ensino aprendizagem (contratação do Instituto Airton Sena e Fundação Roberto Marinho) sem a aprovação técnica das equipes pedagógicas?... Que pensar deste extemporâneo adiamento das eleições diretas para as direções das escolas, criando um impasse e mal-estar entre o gabinete, o Conselho Municipal de Educação e as Direções? Que pensar da realização do OP Criança, num processo alinhavado, sem a devida participação das crianças, como já era praxe acontecer, há anos, contando para isso, sobretudo com a participação do Programa de Animação Cultural, e, em especial dos Grupos do FALE – Fórum de Acesso Livre aos Estudantes?. Que pensar de práticas como a utilização da máquina pública para contratar funcionários particulares, sem concurso, como o caso do motorista e do diretor financeiro?. Que pensar da prática de assédio moral, ao obrigar todos os cargos comissionados a se fazerem presentes em todoe qualquer evento realizado pelo gabinete, simplesmente para fazer público?... Por conta de quê não se realizou o III Seminário das Escolas de Tempo Integral, um evento da máxima importância para a continuidade e avanço de uma experiência nova, que teria tudo a lucrar, num esforço de compartilhamento e revisão de experiências?.Que pensar de uma gestão da educação fortemente verticalizada, que transforma as relações de trabalho em relação de mando e obediência, que entende as diferenças de ponto de vista na realização das ações como desobediência e resultam em desrespeito no trato com o profissional trabalhador?... De fato a desigualdade é a marca do convívio, aos amigos do rei, tudo, sem limites nem critérios; aos demais, a indiferença, o escanteamento, ou os rigores da lei! O outro jamais tem sido reconhecido como sujeito de direito, haja vista as dispensas para mestrado que não foram autorizadas em tempo hábil para os professores e a liberação para participação em congressos e eventos, onde os critérios sequer existem. Em suma, a palavra democracia já não encontra mais sentido nem significado no âmbito da Educação no Recife. Ressaltamos ainda a aprovação UNÂNIME da moção de repúdio ao Secretário na Conferência Estadual de Educação, tal moção foi solicitada pelo público em repúdio ao modo ditador e autoritário do Secretário de gerir a rede municipal de ensino. É importante fazermos a ressalva de que nunca “na história dessa cidade” tal ação ocorreu em direção a um gestor da rede municipal de ensino, levantando o quão vergonhoso isso é para a cidade e para a gestão da própria PCR, pois o documento da Conferência Estadual de Educação seguirá para a Conferência Nacional de Educação que será realizada pelo MEC em 2010. Nosso protesto é de quem se sente construtor (a) de um projeto de Educação que tem dado sentido a nossas vidas como educadores (as) e ao qual temos dedicado o melhor de nossas vidas profissionais, mas que está sendo vorazmente demolido. Estamos em luta por garantir este projeto, assim como fizemos nas gestões de Gilberto Marques Paulo, Joaquim Francisco e Roberto Magalhães, sem abrir mão da inesquecível pergunta que norteava nossas discussões e projetos: Que educação, para qual sociedade? Esta pergunta já foi respondida pela gestão 2001/2008 com seus projetos, programas e ações. No horizonte, ainda há esperanças. Mas alguma coisa tem que acontecer, antes que seja tarde demais! EDUCADORES (AS) DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE Recife Dezembro 2009

CIDADANIA // Juventude mostra sua arte no Pátio de São Pedro

No próximo dia 20 de dezembro, a partir das 14h, acontece o I Ciclo Cultural das Juventudes - A Juventude em Diálogo com a Cidade, no Pátio do São Pedro. O evento contará com a participação de 22 coletivos juvenis que realizarão exposição fotográfica, exposição de materiais dos grupos (livros, fanzines, panfletos,cartazes, feira de troca, serigrafia), recital poético, Roda de Hip Hop, espetáculos circenses, exibição de vídeos, apresentações de teatro e dança, maracatu, bandas musicais. A programação segue até o período noturno. A organização do evento espera que, com a realização do 1º Ciclo Cultural das Juventudes, a cidade possa voltar os olhos para as juventudes, percebendo a diversidade e a qualidade da atuação juvenil. O I Ciclo Cultural das Juventudes está sendo realizado pela Etapas e organizações Juvenis da RMR, com o apoio da Prefeitura do Recife e Fratelli Dell Uomo.
Por Le Fil Comunicação Digital

SHOW // Recife comemora os 61 anos da Declaração dos Direitos do Homem

Para encerrar a 4ª edição da Semana de Direitos Humanos: Iguais na Diferença, no domingo, 6, se apresentam, no Marco Zero, nomes como Arnaldo Antunes, Chico Cesar, Ed Motta, Elza Soares, Emílio Santiago, Luiz Melodia, Marco Cesar, Margareth Menezes, Monica Salmaso, Siba, Silvério Pessoa e Spok. A direção artística do show de encerramento é assinada pelo músico Antônio Nóbrega, conhecido por misturar em seus espetáculos dança, artes cênicas e música.

PENSAMENTOS QUE ACONTECEU

Apesar de você... ... como diria o Chico dos anos de chumbo, a Caminhada da Consciência Negra aconteceu! Não veio você, não veio ela, não veio ninguém de vocês, do povo lá de cima, mas do povo cá de baixo veio quase todo mundo e a Caminhada da Consciência Negra aconteceu! Nossos Animadores e Animadoras Culturais... os Grupos Culturais ce Capoeira, de Percussão e de Dança, no esplendor do Maracatu... nossos Coordenadores e Coordenadoras, nossa Gerente, com toda a garra, com todo o brilho, se mobilizaram, se organizaram e a Caminhada Consciência Negra aconteceu! E vieram estudantes de várias escolas de todas as RPAs, com suas Professoras e Professores, com suas Dirigentes, caminhar com a gente; e o povo, nas ruas, nos admirava e aplaudia, e houve até quem pedisse aos Animadores a camisa preta da Animação Cultural (“Eu quero uma camisa dessa!”), porque gostou do que viu, que a Caminhada da Consciência Negra aconteceu! E foi coisa da gente, com Genivaldo fazendo ecoar o nosso grito pelas avenidas e pelas pontes, e do GETERÊ, com o encanto do Afoxé Omo-Milê-de-Ogunjá... coisa de gente que gosta de gente, coisa de Negro que sente o orgulho da raça... e a Imprensa nos deu plena cobertura, do JC à Folha, passando pela Bandeirante até a Globo, pois a Caminhada da Consciência Negra aconteceu “e virou manchete”! Depois de tudo, é possível que você tenha se arrependido de não ter vindo, de não ter visto, e queira até tirar uma lasquinha, porque, sem qualquer incidente lamentável, pelo contrário, com muita coisa boa e bonita, muita cor e muito som, muito batuque e balanço, a Caminhada da Consciência Negra aconteceu! E você gostaria, quem sabe, de que o povo achasse que você fez alguma coisa para que tudo isso acontecesse e não soubesse que a Caminhada da Consciência Negra das Escolas da Rede Municipal aconteceu “apesar de você”. Reginaldo Veloso, assessor da GAC/nov/09

SÍTIO DOS PINTOS // OBRA DO ALTO BOM JESUS VAI SAIR DO PAPEL

RESULTADO DE JULGAMENTO DE RECURSO ADMINISTRATIVO INTERPOSTO NA FASE DE PROPOSTAS DE PREÇOSTOMADA DE PREÇOS Nº 032/2009 - CPL/URB-RECIFE - PROCESSO Nº 049 - OBJETO: execução das obras de contenção de encostas, escadaria e drenagem do Alto Bom Jesus, RPA 03, MR 3.1 - Sítio dos Pintos, nesta cidade. A Comissão Permanente de Licitação avisa e comunica a todos os interessados, e para todos os fins e efeitos legais, que após avaliação e análise do recurso administrativo interposto pela empresa Planalto Pajeú Empreendimentos Ltda., ao qual não foi dado provimento, restou mantida a decisão anterior permanecendo como VENCEDORA a empresa Encoserv Construções Ltda. Eduardo Pessoa da Silva - Presidente da Comissão Permanente de Licitação.

Fonte: Diário Oficial (21/11/2009)

ELEIÇÃO // EDUCADORES SÃO CONTRA ADIAMENTO

Reportagem BRUNO BASTOS
Os servidores da educação que trabalham nas escolas municipais do Recife compareceram ao plenário da Câmara dos Vereadores do Recife na manhã de ontem para protestar contra a proposta da secretaria municipal de Educação de adiar para junho de 2010 a eleição direta dos novos diretores e vice-diretores das unidades educionais, marcada para 30 de novembro. Segundo a professora Anna Cristina Davi, do Sindicato dos Professores Municipais do Recife (Simpere), o objetivo da manifestação é denunciar o descumprimento da lei 17.090, do ano de 2005, que regula o processo eleitoral das escolas municipais. No último dia 4 de novembro, a Secretaria de Educação enviou uma proposta de alteração da lei para ser analisada pelo sindicato e pelo Conselho Municipal de Educação (CME), que vetaram a mudança. Anna Cristina explicou que a lei atual realmente não atende aos critérios definidos pela categoria na Conferência Municipal de Educação, realizada entre 28 e 31 de agosto, e precisa ser mudada, mas é contra o adiamento da votação. “Nós estamos de acordo com as discussões para alterar a lei, mas queremos que elas aconteçam depois do processo eleitoral. Adiar a votação por seis meses vai ser prejudicial, porque já existem chapas que se candidataram e esses professores podem sofrer represálias dos atuais diretores”, relatou. A educadora Viviane Freitas ressaltou que o grupo escolheu a data de ontem para ir à Câmara porque o prefeito João da Costa era um dos convidados de uma sessão especial em homenagem aos 300 anos da casa; o prefeito, no entanto, não compareceu e mandou o secretário de Coordenação Política, Roberto Arrais, como representante. Segundo ele, o projeto de alteração da lei das eleições diretas foi encaminhado para discussão na Comissão de Educação da Câmara e deve ser debatido na semana que vem. “Estamos pensando o projeto com todos os segmentos, desde os profissionais de educação até o poder legislativo”, salientou Arrais. Em nota oficial, a Secretaria de Educação da Prefeitura do Recife defende o adiamento das eleições diretas devido às necessidades de aperfeiçoar o processo e incluir sugestões recebidas na conferência e no conselho de educação já realizados.
Fonte: Folha de Pernambuco (www.folhape.com.br)

CIDADÃO REPORTER // Comunidade quer conta d'água com taxa social

Sítio dos Pintos - Moradores tinham poço próprio, que passou a ser administrado pela Compesa e reclamam agora da instalação de hidrômetros individuais nas suas residências.
Ana Paula Neiva
Água nas torneiras, mas pagando apenas a taxa social. É assim que a comunidade do Sítio dos Pintos, em Dois Irmãos, espera que a Compesa faça a cobrança pelo fornecimento.
Maria José Moreira diz que, com o hidrômetro individual, a maioria dos moradores não tem condição de pagar o valor da conta de água.
Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press
Os moradores alegam que possuem poço próprio desde 1986 e, por isso, acreditam que devam pagar apenas a taxa social, que hoje é de R$ 8,56. A construção do poço foi uma conquista da comunidade mas, desde a década de 1990, sua administração vem sendo conduzida pela Compesa. No entanto, há um ano, a companhia deu início à instalação dos hidrômetros individuais para então regulamentar a cobrança do fornecimento de acordo com o consumo de cada um. O que tem deixado os moradores apreensivos. "A questão é que a Compesa em nenhum momento se reuniu ou convocou a gente para apresentar e debater a proposta. O Sítio dos Pintos é uma comunidade carente e tem um poço de água próprio e os moradores já pagam a conta de água", denunciou o cidadão-repórter Zé Alberto, o Betinho do Sítio dos Pintos.
Ontem, a reportagem do Diario esteve na comunidade. A presidente do Conselho de Moradores, Maria José Moreira, contou que o poço foi construído pela antiga Companhia Integrada de Serviços Agropecuários (Cisagro), em 1986, no governo de Miguel Arraes. "Ficamos dois anos cuidando da manutenção dos serviços mas, como a bomba às vezes quebrava e ficávamos sem ter como fazer o conserto, em 1989, entregamos a administração à Compesa", esclareceu a líder comunitária. Agora, segundo ela, a companhia de abastecimento está querendo cobrar pelo serviço de forma diferenciada. "Ora, somos uma comunidade carente, as pessoas que vivem aqui são assalariadas, biscateiros e desempregados. Ninguém tem condições de pagar tão caro pelo consumo de água. Não somos contra a cobrança, queremos apenas pagar um preço mais justo", argumentou.
De acordo com Maria José, há pelo menos 50 moradores que já tiveram o hidrômentro instalado em suas residências. "Tem gente que pagava a taxa mínima de R$ 21, e agora, está pagando R$ 150", comentou. A dona de casaValéria Maria da Silva, moradora da Avenida Arnaldo Paes de Andrade, é uma delas. Residindo na casa de número 60, desde março, ela está preocupada com as contas de água. "Mês passado, veio quase R$ 75. Assim, não tenho condições de pagar o aluguel de R$ 230, mais a conta de água", confessou a mulher, que já procura outro imóvel para se mudar. Valéria diz que tem feito racionamento dentro de casa por acreditar que o relógio do hidrômetro instalado em sua casa gira muito rápido. "Vejam como ele funciona", mostrou a dona de casa, ligando a torneira do jardim.
Segundo o morador, Sebastião Lira, 54, a Compesa nunca dialogou amplamente. "Estão impondo a colocação dos hidrômetros", alegou. A comunidade do Sítio dos Pintos tem uma população de 5,660 habitantes, segundo dados do IBGE/Censo de 2000. A localidade integra a 3ª Região Político-Administrativa do Recife, formada por um total de 29 bairros. Encravada entre os bairros de Caxangá e Dois Irmãos, faz divisa com o município de Camaragibe, ocupando uma área de 178 hectares.
Equilíbrio - O diretor comercial da Compesa, Décio Padilha, explicou que a instalação do hidrômetro individual é indispensável para viabilizar o equilíbrio no abastecimento do sistema em Sítio dos Pintos. "Desde outubro fizemos uma reunião com a comunidade e decidimos que faríamos um recadastramento geral da tarifa social, o que já está sendo feito", esclaeceu. Segundo ele, para ser enquadrado na tarifa social, o morador precisa consumir apenas 10 metros cúbicos de água por mês, ter um consumo de energia elétrica de até 80 quilowats, residir em um imóvel de até 60 metros quadrados, e estar inserido em algum programa social do governo. "Só podemos ter o controle do consumo, se tivermos como fazer a medição. Por isso, estamos instalando os hidrômetros. Como é que a gente vai saber se é ou não tarifa social?", questionou.
O diretor comercial lembrou de uma pesquisa realizada pela Compesa, onde verificou-se que o consumo médio de residências de pequeno porte, que não possuíam hidrômetro e tiveramo equipamento instalado, correspondeu a 28 metros cúbicos de água. "Já pegamos consumo de até 40 metros cúbicos", completou. Décio Padilha garantiu que a instalação dos equipamentos e o recadastramento não está sendo cobrado aos consumidores.
Fonte: Diário de Pernambuco (http://www.diariodepernambuco.com.br/)

TRANSPORTE // USUÁRIOS RECLAMAM DE SERVIÇO PRESTADO POR EMPRESA DE ÔNIBUS

Demora, ônibus lotado e irritação, esses são as sensações sentidas todos os dias pelos usuários que vão para Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e as comunidades adjacentes, nos bairros de Dois Irmãos e Sítio dos Pintos. As linhas de ônibus Dois Irmãos/Rui Barbosa e Sítio dos Pintos/Dois Irmãos da empresa Transcol que serve aos usuários da UFRPE e moradores dos bairros Dois Irmãos e Sítio dos Pintos vem sendo alvo de reclamações há muito tempo. Os problemas já começam nas primeiras horas da manhã, quando a maioria dos ônibus que passa próximo a Universidade já vem lotados do terminal, o que faz com que muitos usuários das linhas passem mais de meia-hora na parada. Se a situação é complicada durante a semana, nos finais de semana a situação para os moradores da área piora ainda mais. Como sempre acontece uma redução na frota de ônibus que serve os usuários de transporte coletivo na capital, os ônibus das Linhas 524 e 522 demoram ainda mais. Os ônibus chegam a demorar entre 40 minutos e 1 hora. As organizações das comunidades já tentaram marcar encontros com a empresa Transcol para dialogar sobre estes problemas e também as questões de responsabilidade social da empresa com os moradores e usuários das linhas.

DENÚNCIA // BOCA NO TROMBONE

Crianças falam do maior problema da comunidade no momento, a insegurança. O grande problema da comunidade de Sítio dos Pintos, no bairro de Dois Irmãos, no Recife, preocupam até mesmo as crianças da comunidade. Apesar de ter apenas 14 anos, Flávia Azevedo já tem uma explicação para a violência no bairro. “Depois que fechou o posto policial começou a ter assalto e até execução”, diz. O antigo posto foi desativado pela Secretaria de Defesa Social. “Se a gente tivesse mais atividades culturais, acesso a várias ações educativas, e mais esporte e lazer a violência diminuiria”, afirma Alex Tavares, também de 12 anos.

DIVERSÃO // FESTA DO DIA DAS CRIANÇAS AGITA A COMUNIDADE

O Sítio dos Pintos ficou repleto de muita alegria, diversão, brincadeiras, jogos e atrações, no dia 12 de outubro. Em comemoração ao Dia das Crianças, foi realizada a festa no Parque Santa Maria, que contou com a presença de centenas de participantes e apoio de vários comerciantes e moradores. As crianças desfrutaram momentos de muito alto astral e diversão nos jogos e brincadeiras realizados no campo da mata, degustando de cachorro quente, picolé, confeitos, doces, pipocas e ganharam muitos brinquedos. A festa iniciou pela manhã e foi até a noite, teve várias apresentações culturais e sucessos infantis.

COMPESA // COMUNIDADE CONTRA A COLOCAÇÃO DE HIDRÔMETRO

A comunidade de Sítio dos Pintos já se reuniu duas vezes para discutir a questão da colocação hidrômetro, que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) esta propondo aos moradores, pois assim, a comunidade vai economizar água e pagar as contas de água em dia. Segundo o morador, Sebastião Lira, 54 anos, a Compesa nunca dialogou amplamente com a comunidade. “A questão é que a Compesa em nenhum momento se reuniu ou convocou a gente para apresentar e debater a proposta. Pois o Sítio dos Pintos é uma comunidade carente, tem um poço de água própria e os moradores já pagam à conta de água”. Já a moradora Severina Arruda, 48 anos, diz: “O poço de água é uma conquista da comunidade, foi transferido para a Compesa só administrar, e ficar responsável sobre o recolhimento da contribuição dos moradores com o pagamento da taxa mínima”. Atualmente a taxa social é o ideal para a comunidade.

ASSASSINATO // JOVENS NEGROS SÃO AS MAIORES VÍTIMAS EM PERNAMBUCO

Preconceito e discriminação racial. Essas palavras não fazem parte somente do cotidiano dos quase 4,8 milhões de pessoas negras que existem em Pernambuco. O Alersson Teixeira, de 23 anos, jovem e negro, acredita que com a criação de políticas públicas voltadas para mostrar que a discussão existe é o principal passo para o reconhecimento da comunidade negra que existe na sociedade. “Só assim podemos criar estratégicas de mudança, lutar pela igualdade de direitos”. Hoje, integrante do Fórum da Juventude Negra do Estado, busca soluções para o atual índice de mortalidade de jovens negros. De acordo com o Índice de Homicídios na Adolescência (IHA), a probabilidade de ser assassinado é quase 12 vezes maior quando o adolescente é do sexo masculino do que do feminino. O risco é, também, quase três vezes maior para os jovens negros, quando comparados aos brancos. O IHA revela que 45% das mortes de adolescentes entre 12 e 18 anos são provocadas por homicídio. Já os crimes cometidos no Recife, 68% são contra jovens entre 15 a 29 anos. Desses, 92% das vítimas são jovens negros, segundo dados da Central de Inquéritos do Recife do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

CIDADANIA // MULHERES DE SÍTIO DOS PINTOS ESTÃO TENDO FORMAÇÃO POLÍTICA

 
A ONG Cidadania Feminina e Fórum das Mulheres de Pernambuco estão promovendo um Curso de Formação Política para as mulheres, moradoras da comunidade de Sítio dos Pintos. Serão oito encontros de formação, e ainda elas vão visitar delegacia e centro de referência de atenção as mulheres. 

No final da formação vão realizar um apitaço para dar visibilidade do enfrentamento da violência contra as mulheres. O curso está acontecendo na sede da Comissão Pró-Arraial (Compasp) na Rua São Pedro, nº. 80, próximo a Escola Mundo Esperança. O Grupo Mulheres de Sítio dos Pintos tem a coordenação de Tereza e conta com a participação de 30 mulheres (jovens e adultas).

Educação // Falta de creche preocupa morador do Sítio dos Pintos e Dois Irmãos

As mulheres que vivem nos bairros do Sítio dos Pintos e em Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife, não têm opção para deixar os filhos, quando saem de casa para trabalhar. É que falta uma creche para abrigar as crianças. Segundo o cidadão-repórter José do Rádio, as mulheres acabam pagando outras donas de casa para cuidar de seus filhos. "Por isso acabam desistindo do emprego, pois o que recebem não dá para contratar uma babá", explica. De acordo com José do Rádio, os moradores já colocaram a necessidade como básica e prioritária no Orçamento Participativo da Prefeitura do Recife. Saiu no Jornal DP - Edição de 20/10/2009.

Etapas promove 4ª edição do curso de gestão de serviços administrativos

O curso de gestão de serviços administrativos, promovido pela Etapas, inicia a sua sexta semana. As aulas são divididas em módulos que discutem sobre socialização e cidadania - participação, juventude, gênero, raça, meio ambiente -, trabalho, inclusão digital e introdução ao telemarketing. Atualmente, essa atividade envolve 33 jovens. Além de assistir às aulas de todos os módulos, os jovens se organizam em comissões (Juventude, Meio ambiente, Atualidades, Trabalho e Estágio).
Ao participar de uma comissão, cada um tem como objetivo se aprofundar na temática a qual ele está inserido. “Esse curso está aliando a prática com a teoria. Dessa forma, fica mais fácil compreender a realidade. Além disso, fazemos várias pesquisas, além das aulas, para enriquecer o nosso conhecimento”, explica a aluna Valéria Cristina dos Santos, 22 anos, da comunidade do Jordão. As aulas acontecem de segunda a sexta-feira, na Etapas.
Realidade Local - Os jovens também irão fazer visitas a cinco comunidades, escolhidas entre eles em sala de aula, para começarem a compreender que as mudanças necessitam de um trabalho em conjunto/parceria e de um processo de conscientização da população e da juventude local. "Seria muito bom poder fazer com que todas as comunidades em que os jovens residem pudessem ser conhecidas pela turma, mas o tempo não permite", afirma Leonardo Nunes, técnico da Etapas. As comunidades que serão visitadas são: Ibura (UR-01/UR-03), Caranguejo Tabaiares, Alto José do Pinho, Sítio dos Pintos e Beira do Rio. Site: www.etapas.org.br .

AÇÕES DA SEMANA DA INFÂNCIA

Em comemoração ao dia das crianças, a Coordenadoria da Infância e Juventude estará promovendo entre os dias 13 a 16 de outubro a "Semana da Infância: Conscientizando sobre os direitos da criança". O evento contará com ações diversificadas, dirigidas a diferentes públicos, gratuitas e abertas aos interessados. O objetivo das atividades é o de promover a conscientização de direitos e a integração entre agentes da rede de proteção da criança e dos adolescentes.

ARTIGO EM DEBATE

Uma Silva sucessora de um Silva? Não estou ligado a nenhum partido, pois para mim partido é parte. Eu como intelectual me interesso pelo todo embora, concretamente, saiba que o todo passa pela parte. Tal posição me confere a liberdade de emitir opiniões pessoais e descompromissadas com os partidos. De forma antecipada se lançou a disputa: Quem será o sucessor do carismático presidente Luiz Inácio Lula da Silva? De antemão afirmo que a eleição de Lula é uma conquista do povo brasileiro, principalmente daqueles que foram sempre colocados à margem do poder. Ele introduziu uma ruptura histórica como novo sujeito político e isso parece ser sem retorno. Não conseguiu escapar da lógica macro-econômica que privilegia o capital e mantém as bases que permitem a acumulação das classes opulentas. Mas introduziu uma transição de um estado privatista e neoliberal para um governo republicano e social que confere centralidade à coisa pública (res publica), o que tem beneficiado vários milhões de pessoas. Tarefa primeira de um governante é cuidar da vida de seu povo e isso Lula o fez sem nunca trair suas origens de sobrevivente da grande tribulação brasileira. Depois de oito anos de governo se lança a questão que seguramente interessa à cidadania e não só ao PT: quem será seu sucessor? Para responder a esta questão precisamos ganhar altura e dar-nos conta das mudanças ocorridas no Brasil e no mundo. Em oito anos muta coisa mudou. O PT foi submetido a duras provas e importa reconhecer que nem sempre esteve à altura do momento e às bases que o sustentam. Estamos ainda esperando uma vigorosa autocrítica interna a propósito de presumido “mensalação”. Nós cidadãos não perdoamos esta falta de transparência e de coragem cívica e ética.Em grande parte, o PT viou um partido eleitoreiro, interessado em ganhar eleições em todos os níveis. Para isso se obrigou a fazer coligações muito questionáveis, em alguns casos, com a parte mais podre dos partidos, em nome da governabilidade que, não raro, se colocou acima da ética e dos propósitos fundadores do PT.Há uma ilusão que o PT deve romper: imaginar-se a realização do sonho e da utopia do povo brasileiro. Seria rebaixar o povo, pois este não se contenta com pequenos sonhos e utopias de horizonte tacanho. Eu que circulo, em função de meu trabalho, pelas bases da sociedade vejo que se esvaziou a discussão sobre “que Brasil queremos”, discussão que animou por decênios o imaginário popular. Houve uma inegável despolitização em razão de o PT ter ocupado o poder. Fez o que pôde quando podia ter feito mais, especialmente com referência à reforma agrária e a inclusão estratégica (e não meramente pontual) da ecologia.Quer dizer, o sucessor não pode se contentar de fazer mais do mesmo. Importa introduzir mudanças. E a grande mudança na realidade e na consciência da humanidade é o fato de que a Terra já mudou. A roda do aquecimento global não pode mais ser parada, apenas retardada em sua velocidade. A partir de 23 de setembro de 2008 sabemos que a Terra como conjunto de ecosissitemas com seus recursos e serviços já se tornou insustentável porque o consumo humano, especialmente dos ricos que esbanjam, já psssou em 40% de sua capacidade de reposição. Esta conjuntura que, se não for tomada a sério, pode levar nos próximos decênios a uma tragédia ecológicohumanitária de proporções inimagináveis e, até pelo final do século, ao desaparecimento da espécie humana. Cabe reconhecer que o PT não incorporou a dimensão ecológica no cerne de seu projeto político. E o Brasil será decisivo para o equilíbrio do planeta e para o futuro da vida. Qual é a pessoa com carisma, com base popular, ligada aos fundamentos do PT e que se fez ícone da causa ecológica? É uma mulher, seringueira, da Igreja da libertação, amazônica. Ela também é uma Silva como Lula. Seu nome é Marina Osmarina Silva.

Leonardo Boff é autor do livro Que Brasil queremos? Vozes 2000.

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

A Secretaria de Saúde do Recife e o Conselho Municipal de Saúde realizam a 9ª Conferência Municipal de Saúde do Recife, abordando o tema: “Fortalecer a Participação e o Controle Social Para a Consolidação do SUS“. A Conferência Municipal de Saúde é o exercício do Controle Social, onde se decide através das Plenárias Microrregionais, Conferências Distritais e por fim a Conferência Magna com a eleição do Conselho Municipal de Saúde, que se distingue por realizar fiscalização nas ações de saúde como um todo e nas unidades de saúde mediando eventuais conflitos. A Conferência de Saúde do Recife será realizada no período de 06 a 08 de outubro de 2009 no Centro de Convenções da UFPE.
Serviço:

Denúncia de apropriação em área da Mata Atlântica

Internauta alerta sobre aterramento, extração de barro e construções irregulares em comunidade

Reportagem: Ana Paula Neiva

A comunidade de Sítio dos Pintos, próxima à Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), no bairro de Dois Irmãos, corre o risco de perder o que sobrou da Mata Atlântica. Construções irregulares, aterramento de um riacho e extração de barro das encostas da mata estão entre os principais problemas que atingem a reserva. A pior situação está na Avenida Manuel de Medeiros, na esquina da entrada do Sítio dos Pintos com a Rua Luiz Antônio de Araújo. Neste trecho, segundo informa o cidadão-repórter Benício Alves, foi levantado um muro de alvenaria com mais de dois metros de altura e, por trás, está sendo feito, em vários pontos, o aterramento do riacho existente. "Estão arrancando o barro da mata e construindo imóveis sem o menor cuidado urbanístico. O que está prejudicando a preservação da Mata de Dois Irmãos. Se ninguém fizer nada, a reserva será destruída", denuncia o internauta.

De acordo Benício Alves, a ocupação desordenada do bairro começou em meadosde 1998. "Na época, representantes dos moradores apresentaram um dossiê à Empresa de Urbanização do Recife (URB) contendo fotografias da degradação do meio ambiente do entorno da área invadida e das adjacentes, mas a URB respondeu dizendo que não constava nenhum programa de intervenção na área e sugeriu que, nós moradores, procurássemos nos articular por meio do Programa Orçamento Participativo", comentou. Segundo ele, em 2000, os moradores voltaram a denunciar o aterro do riacho, queda de barreira e desmatamento da área de reserva. Nove anos depois, a situação se repete. "A retirada do barro pode provocar acidentes e desacomodação do solo nos terrenos vizinhos. É preciso que as autoridades façam alguma coisa", alerta.

A comunidade do Sítio dos Pintos integra a 3ª Região Político-Administrativa do Recife, a Noroeste da cidade, formada por um total de 29 bairros. Localizada entre Caxangá, Dois Irmãos e divisa com o município de Camaragibe, o Sítio dos Pintos ocupa uma área de 178 hectares e tem uma população de 5,660 habitantes, segundo dados do IBGE/Censo de 2000. Parte da área que está sendo invadida pertence ao domínio da UFRPE. Segundo o cidadão-repórter Benício Alves, na verdade, há informações de as áreas estão sendo ocupadas por grileiros. "Comentam-se que são funcionários e ex-servidores da própria universidade", diz.

Controle - A pró-reitora interina de planejamento da UFRPE, Carla Coelho, informa que já existe um processo em tramitação junto à Prefeitura do Recife para definir o perímetro de responsabilidade da universidade. Ela reconhece que, nos últimos anos, parte da área foi alvo de algumas invasões. Carla Coelho admite, no entanto, que não há como controlar a urbanização irregular ao redor do seu prédio por se tratar de um terreno bastante extenso. Apesar disso, ela diz que não tinha conhecimento de que a área está sendo ocupada por grileireiros, como denunciou o cidadão-repórter Benício Alves. Quanto às denúncias de desmatamento, extração de barro e aterramento do riacho na área da reserva da mata, a pró-reitora interina de planejamento da UFRPE diz que, normalmente, ao tomar conhecimento de fatos como este, encaminha as informações aos órgãos competentes. Você também pode sugerir reportagens como esta. Basta acessar o endereço: www.pernambuco.com/cidadao.

Saiu no Diário de Pernambuco - 22/09/2009

PRÉVIA DA PARADA DA DIVERSIDADE

No domingo (13), representantes da PCR e do Fórum LGBT fazem caminhada na Avenida Boa Viagem com o objetivo de informar aos condôminos sobre Parada da Diversidade, que acontecerá no local, dia 20 de setembro.

A concentração acontece na Pracinha de Boa Viagem, às 9h. Ainda no domingo haverá uma prévia do evento no Espaço Muzanzé, (Rua Mario Neves Batista, antiga Rua 10, N° 75, Lagoa Encantada, Ibura) às 14h. Nenas Farias DNA e banda, Thia Baya, Jaine Elner, show de trans, apresentações de maracatus e afoxés fazem parte da programação.

“Jovens em Perigo”

No Profissão Repórter da terça-feira, 1º de setembro, Caco Barcellos e sua equipe passaram 48 horas em três cidades com o maior índice de assassinato de jovens no Brasil. Os repórteres Mariane Salerno e Caio Cavechini estiveram em Foz do Iguaçu, a cidade número 1 no ranking de adolescentes vítimas da violência. Por que eles morrem e matam tanto na fronteira? Thaís Itaqui e Felipe Gutierrez passaram o fim de semana no Espírito Santo, estado com três cidades incluídas entre as 10 mais perigosas para jovens. E Caco Barcellos percorreu a Grande Recife e mostrou a rotina de medo e dor numa das regiões mais violentas do Nordeste brasileiro.

Para conferir o programa acesse: http://especiais.profissaoreporter.globo.com/programa/

PREFEITURA VAI REALIZAR OBRAS NO ALTO BOM JESUS ATRAVES DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

A Prefeitura do Recife divulgou pacote com cerca de 100 obras para realizar nesse segundo semestre, e a comunidade de Sítio dos Pintos vai ser atendida com a pavimentação, escadaria, encosta e drenagem do Alto Bom Jesus, próximo a Escola Municipal Mundo Esperança. Esta obra foi solicitada no Orçamento Participativo pelos delegados da comunidade. Serão cerca de 30 famílias beneficiadas com a realização dessa obra, assim, trazendo o desenvolvimento e progresso para os moradores.

COMUNIDADE DO SÍTIO DOS PINTOS FICA SEM ÁGUA NAS TORNEIRAS

Os moradores do Sítio dos Pintos estão revoltados com a Compesa. A comunidade reclama das ações que a empresa faz e não comunica à população. No últimos dias 19 e 20, os moradores ficaram mais uma vez sem água. "Foram quase 30 horas sem um pingo nas torneiras", queixou-se o morador do Alto da Boa Esperança, seu José Antônio. Ele, informa ainda:”A Compesa vem atuando de informa arbitrária, pois aconteceu uma situação de colocarem relógios nas casas sem autorização da gente”.

PRAÇA É PRIORIDADE PARA OS MORADORES DE SÍTIO DOS PINTOS

A prioridade escolhida pelos moradores de Sítio dos Pintos no OP 2009 foi à construção da Praça com espaço para eventos no terreno dos Marroquinos, depois das três plenárias da microrregião 3.1 e das urnas eletrônicas, a comunidade fica pela primeira vez com 2 (duas) ações, nas 10 (dez) prioritárias para a Prefeitura do Recife fazer na região. Em quinta colocação esta a praça e em sexto a contenção de encosta da Travessa da Rua Parque Santa Maria. Durante o mês de setembro é vez dos votos pela internet, todos os habitantes do Recife poderão votar. Quer sabe mais procure os delegados do OP para se informar.

AS MÍDIAS: O SEU PAPEL E PODER

Nunca os meios para se comunicar e se informar foram tão diversos e numerosos, mas, muitas vezes, as relações entre as mídias e o poder político e econômico são ambíguas. Qual é o papel das mídias? A palavra “mídia” vem do latim medium (“aquilo que está no meio”, “intermediário”). As mídias estabelecem uma relação entre o público (leitores, ouvintes, telespectadores) e o resto do mundo. As mídias possuem diferentes funções: informar sobre as atualidades, transmitir conhecimentos científicos, dar acesso as culturas literárias ou artísticas, criar debates de idéias. Elas também são – sobretudo as mídias audiovisuais – meios de distração. Várias mídias são financiadas pela publicidade. Quanto mais audiência eles tem, mais cobram por seu espaço publicitário. Por isso, muitas são levadas, especialmente as redes de televisão, a privilegiar o “entretenimento” para atingir audiências maiores. A mídia e o poder A imprensa escrita e televisiva é um meio de discutir o poder político, denunciar possíveis abusos e dar voz a opiniões opostas. Isso explica por que as DITADURAS controlam as mídias e atacam os jornalistas que defendem a liberdade de expressão. Para quem defende a DEMOCRACIA, as mídias devem ser independentes do poder político, embora também sejam consideradas, ao lado dos três poderes, um “quarto poder”. Nos países democráticos, as mídias são bastante diversificadas, mas a maioria pertence a grandes grupos INDUSTRIAIS e financeiros. Assim, algumas MULTINACIONAIS possuem jornais, redes de televisão e sites. Na maioria das vezes, nem sempre de modo explicito, elas utilizam essas mídias para defender seus interesses e fazer a publicidade dos seus produtos muito mais do que para desenvolver o espírito critico e contribuir para o debate democrático.

PEQUENO EXPEDIENTE

Desde o primeiro mandato do presidente Lula que a oposição tenta, sem sucesso, desgastá-lo. Ao perceber que não atingiriam seu objetivo, devido à popularidade do petista, os tucanos e democratas passaram, então, a buscar formas de destruir a imagem do PT. O que vemos hoje no Senado é a repetição exaustiva (que, embora já tenha demonstrado sua ineficiência, se mantém como prática obsessiva da oposição), o uso recorrente de métodos nada democráticos.

Enfim, o mais do mesmo, qual seja, colocar na conta do Partido dos Trabalhadores a responsabilidade dos descaminhos de alguns, que nem pertencem à legenda (fazem parte de uma base aliada heterogênea, infelizmente necessária em função do atual sistema político-eleitoral do País). Tucanos e Democratas debatem cansativamente a superfície, inventam factóides, convocam audiências públicas com pessoas que acusam e não conseguem sustentar suas denúncias, interpretam o mundo segundo sua lógica capital.

Recuam também, como o senador Sérgio Guerra, que pregou a pacificação no dia anterior ao Conselho de Ética do Senado decidir pelo arquivamento das representações contra Sarney e, principalmente, Arthur Virgílio, que, ao contrário do presidente do Senado, confessou em plenário seus ilícitos e foi absolvido pela oposição e pela mídia por presunção de inocência. A presunção da inocência, prevista no Código Penal, deveria ser regra até o julgamento dos fatos denunciados.

Mas a oposição convenientemente só a invoca quando os seus parceiros são flagrados e acusados de comportamentos antiéticos. Aliás, termo que democratas e tucanos escolheram como bandeira de contraposição, mas que vista de perto está mais para contradição. Mas quem quer analisar qualquer coisa a fundo, na sua estrutura, neste debate político? O que é ético nesse imbróglio todo em que o Senado se vê envolvido nos últimos meses? Será o PT responsável por uma estrutura política que, a despeito de todo o esforço de nosso partido em votar há anos uma reforma política e eleitoral que retire do processo eleitoral as influências econômicas? Sem a miopia que tem marcado a discussão Sarney, atos secretos, etc., seria possível enxergar que o Legislativo é assim não por influência de A ou B, mas de grandes grupos que investem na eleição daqueles que representaram seus interesses.

Campanhas milionárias, tanto nas eleições majoritárias quanto proporcionais, bancadas com dinheiro privado não são generosidades de empresários. Tornam-se amarras para aqueles que se comprometem com esses lobbies. A despeito de toda desigualdade dos pleitos eleitorais, muitos se elegem com poucos recursos e com ampla base social, o que é o meu caso e de muitos companheiros do PT, que surgiu dos movimentos sociais e sindicais.A eleição dos representantes do PT e do presidente Lula teve e tem como pauta recolocar o Estado como indutor do desenvolvimento, com uma concepção do público para o público e não do público para o privado (ou vice-e-versa), como desejam nossos adversários políticos, teólogos do neoliberalismo.

Lula e o PT têm compromisso na construção de um desenvolvimento econômico que não favoreça somente à elite que lucrou durante décadas desde a ditadura militar até o período FHC. Sabíamos que era preciso quebrar vários paradigmas: desenvolver o país com preocupação sócio-ambiental, distribuição de renda; enfrentando as desigualdades sociais e regionais, recolocando o Estado como indutor desse processo. Nem tudo foi feito neste primeiro momento. Romper paradigmas, conceitos ideológicos e culturais arraigados há séculos demanda tempo.

Mas hoje, temos como afirmar, com orgulho de quem sabe a dureza da estrada e soube lutar contra o preconceito social e político, que avançamos muito neste projeto. E se não conseguimos ainda chegar ao que sonhamos e planejamos para o Brasil há quase 30 anos, é porque somos também fruto dessa desigualdade. Não pertencemos à elite que sempre deu as cartas nesse país e nem os recursos que ela acumulou expropriando o povo brasileiro. Talvez por isso mesmo, nosso caminho seja mais longo. E por isso talvez sejamos atacados de forma desigual e muitas vezes sem a proporcionalidade do direito à resposta, à voz nos meios de comunicação.

O sonho de projeto democrático-popular é demorado, como demoradas são as conquistas sociais. Nesse trajeto não existe atalho. O caminho é sabidamente longo e doloroso, como são os acampamentos do MST na luta pela reforma agrária, das mulheres contra a violência, das organizações em busca da efetivação dos direitos humanos. É um duro caminho esse do PT, como o descrito por Hilda Hilst na Poesia XXII: “Não me procures ali, onde os vivos visitam os chamados mortos... Procura-me nas praças [...], espelhada num outro alguém.

Subindo um duro caminho. Pedra, sal, semente. Passos da vida. Procura-me ali. Viva”. E se me perguntarem se essa estrada vale a pena ser percorrida, a despeito dos ataques violentos, das pedras no caminho, vou dizer que ela dignifica a nossa luta, que não caiu do céu, mas surgiu do chão da fábrica, do desejo do povo.Este é o Partido dos Trabalhadores que estamos construindo.

IRINY LOPES – PT/ES

O DESAFIO DA ÁGUA

Durante muito tempo se pensou que as reservas de água do planeta eram inesgotáveis. No entanto, o crescimento significativo do número de habitantes no mundo ampliou a necessidade de água, enquanto o desenvolvimento industrial e urbano e as mudanças de estilo de vida deterioraram os recursos existentes. Em um século, metade das zonas úmidas da Terra desapareceu e, hoje, metade dos grandes rios está poluída ou secando. A água tem papel decisivo no desenvolvimento. Mas o acesso à água é bastante desigu7al no planeta. Há lugares em que basta abrir a torneira, mas, para muitos seres humanos, é preciso cruzar diariamente dezenas de quilômetros para buscar água. E, não raras vezes, os bairros da periferia das grandes cidades não têm água encanada.

OS ARTIGOS DA SEMANA DO SITE DE PAULO RUBENS

Sindicalistas debatem conjuntura e projetos com o mandato

Na manhã desse sábado, no área aberta interna do nosso escritório, um café com frutas animou o encontro do mandato com sindicalistas de vários setores públicos e privados. Estiveram presentes mais de 40 dirigentes e militantes das áreas da saúde, educação, ferroviários, bancários, servidores públicos municipais e estaduais, meio ambiente, aposentados, várias categorias de portuários.

Ipea divulga na Câmara estudo inédito sobre IPTU

Do site do IPEA, www.ipea.gov.br (27/08/2009 – 10:35) Em que medida o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) pode ser um instrumento tributário que permita reduzir a dependência em relação às demais esferas de governo? De que forma a sua utilização mais racional permitiria forjar uma sociedade menos desigual? Para lidar com essas complexas questões, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apresentou na manhã desta quinta-feira, dia 27, na Câmara dos Deputados, o estudo inédito “Política Fiscal e Justiça Social no Brasil: o Caso do IPTU”.

Mais informações: http://paulorubem.com.br

UM ESTADO E UM PAÍS SÃO A MESMA COISA?

Não exatamente. País é o território onde o Estado exerce seu poder político. Estado é o governo e a organização desse país. Hoje não há nenhum continente que, de uma maneira ou de outra, não tenha seu território dividido em diversos estados. De acordo com sua organização política, cada Estado pode se dividir em províncias, cantões ou até frações territoriais também chamadas de estados (como o Brasil e os Estados unidos). Hoje, em alguns países, a disputa pelo poder pode estar enfraquecendo as atuações mais comuns do Estado, mas isso não significa que ele deixou de existir.

CÂMARA DEBATE CONFERÊNCIA DE COMUNICAÇÃO

A I Conferência Nacional de Comunicação, convocada pelo presidente Lula, será tema de audiência pública na próxima terça-feira, dia 1º de setembro, na Câmara de Vereadores do Recife. A Confecom abre possibilidades para um debate público inédito no país sobre temas como o novo marco regulatório para a convergência tecnológica e as concessões de rádio e TV. A iniciativa do vereador Luciano Siqueira, do PCdoB, visa à ampliação da mobilização em nível local das forças políticas e sociais para que atuem no processo da conferência na defesa do direito à comunicação para o exercício da cidadania.

A audiência pública contará com a exposição do jornalista Altamiro Borges, autor do livro "A Ditadura da Mídia", para quem a Confecom representa uma grande vitória dos movimentos sociais, independente dos dilemas criados na sua preparação. A três meses da data de realização da etapa nacional, ainda não há regimento interno e os empresários se retiraram da Comissão Nacional de Organização, composta por 10 representantes do Governo, oito da sociedade civil e oito dos empresários.

Diante da demora na divulgação do regimento e no repasse de informações aos governos estaduais e municipais pelo Ministério das Comunicações, a etapa pernambucana sequer tem data para acontecer. De acordo com o vereador, "a audiência será também uma oportunidade de reivindicar, do Governo do Estado e do município, a instalação, de forma democrática e participativa, das etapas que devem anteceder a I Conferência, conforme prevê o Decreto presidencial de 16 de abril de 2009".

A audiência terá início às 9h da manhã, no Plenarinho da Câmara. Foram convidados a fazer parte da mesa o secretário estadual de Imprensa Evaldo Costa, a assessora executiva da Secretaria de Comunicação da Prefeitura do Recife Ruth Helena Viera, o ex-vereador Liberato Costa Junior e um representante da Comissão Pró-Conferência de Comunicação de Pernambuco. Informação envianda pela Assessoria de Comunicação do vereador. Mais informações no site: www.lucianosiqueira.com.br.

SITE DA PREFEITURA DO RECIFE COM INFORMAÇÃO ERRADA

O site da Prefeitura do Recife, a Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Lazer , utiliza fotos do Programa Circulos Populares para dizer que é o Programa de Animação Cultural (PAC), mais na verdade, não tem nada vê de fato com o PAC. As atuações dos dois programas são totalmente diferentes, é bom a Prefeitura do Recife (comunicação) verificar estas informações e imagens, pois as pessoas acessam o site. Imagine uma imagem de uma coisa e o texto de outra.
ABAIXO, AS FOTOS E TEXTO RETIRADOS DO SITE DA PREFEITURA:
O Programa de Animação Cultural caracteriza-se pelas ações sócio-educativas, artísticas e culturais de teatro, dança, jogos e brincadeiras, capoeira, artes plásticas e música (canto coral, banda marcial e percussão) integradas nas escolas e comunidades do entorno. Crianças e jovens são mobilizados e acompanhados por 150 Animadores Culturais, participando de diferentes atividades artísticas em tempo integral, nos finais de semana, e em horários alternativos, durante a semana.
O Programa de Animação Cultural atende a 60 escolas da Rede (do primeiro ao quarto ciclos e ensino médio) e, em parceira com o Programa Escola Aberta do MEC, atua em 105 escolas, com ações que vão de formação de grupos culturais a recreações organizadas por coordenadores, professores comunitários e voluntários. O Animação Cultural vem ampliando fronteiras na formação da juventude, estimulando o protagonismo juvenil, a construção de relações de convivência e fraternidade e possibilitando a troca de novas visões do mundo.
Entre suas linhas de atuação, o Programa de Animação Cultural propiciou, em 2005, a ampliação do acesso cultural/formação de platéias para 17.177 estudantes, tendo sido abrangidos, em eventos diversos, um total de cerca de 47.517 estudantes.

RECIFE LIDERA VIOLÊNCIA NO PAÍS

Estudo da Unesco sobre mortes de é relativo ao período de 1993 a 2002

Thaís Gouveia Especial para o DIARIO

A quarta edição do Mapa da Violência: Os Jovens do Brasil - estudo divulgado ontem pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) sobre mortes de jovens brasileiros - mostra que, entre 1993 e 2002, Pernambuco passou de 4º para 3º lugar no ranking de assassinatos com vítimas entre 14 e 25 anos. No Estado, a taxa de homicídios é de 103,4 para cada 100 mil habitantes nessa faixa etária. A média nacional é de 52,2. Do total de jovens mortos por qualquer causa em Pernambuco, 56,6% foram assassinados.

A maior média nacional, que ficou em 39,9%. Apesar da tendência à interiorização da violência revelada na pesquisa, Recife aparece como a capital mais violenta do País e a vice-líder na taxa de homicídios contra jovens: são 192,9 por grupo de 100 mil. "Em Pernambuco, temos observado uma estabilidade perigosa, com alto nível de violência. Há crescimento até 1998, mas a partir daí os índices alteram pouco, mas não diminuem em relação aos números nacionais", afirma o autor do Mapa e representante da Unesco no Estado, Julio Jacobo.

O índice de assassinatos de Pernambuco é sete vezes maior que o último colocado nessa categoria, o Maranhão, que tem uma taxa de 15 mortes por 100 mil. No ranking da criminalidade contra jovens, Pernambuco fica atrás apenas do Rio de Janeiro (118,9) e Espírito Santo (103,7). Quando são analisadas as mortes de não- jovens, o Estado sobe para o 2º lugar, com taxa de 54,5, contra 56,5 do Rio de Janeiro.INTERIOR - O Mapa trouxe ainda um dado que chama a atenção: o crescimento dos índices de violência nas regiões interioranas em detrimento das capitais.

Entre 1999 e 2002, o número de homicídios nas metrópoles subiu 1,6% e nas regiões metropolitanas o incremento foi de 2,4%. No Interior, esse índice foi de 8%. "Isso se deve ao nascimento de pólos de desenvolvimento nessas localidades. Tanto que no período anterior, entre 1993 e 1998, os municípios do Interior tiveram um crescimento de 4,1% nos assassinatos, contra 8,4% e 8,5% para capitais e regiões metropolitanas.

Em Pernambuco, esse fenômeno pode ser observado no pólo de confecções, como Santa Cruz do Capibaribe e Toritama, de agricultura irrigada, como Petrolina, ou ainda nas cidades do chamado Polígono da Maconha", esclareceu Jacobo. Pernambuco também está entre os três primeiros colocados no que diz respeito à diferença entre os índices de morte violenta de negros em relação a brancos. Enquanto no Brasil esse percentual é de 65,3% (taxa de 20,6 para cada 100 mil habitantes brancos e 34,0 para negros), no Estado, a diferença supera os 300%: são 16,9 para brancos e 71,4 para negros. Entre os jovens, o percentual é ainda mais alto.

Pernambuco aparece com variação de 409%, atrás da Paraíba (440,2%) e Distrito Federal (449,1%). Os homens são o principal alvo. Os números nacionais mostram que 93,8% dos jovens assassinados são do sexo masculino, contra 95,8% em Pernambuco. Nos finais de semana, há um incremento de 68,2% na quantidade de homicídios entre vítimas de 14 a 25 anos. No Estado acontecem 70% a mais de assassinatos de jovens nesse período da semana. O uso de armas de fogo nesses crimes também deixa Pernambuco no topo da lista das federações. É o 1º lugar no ranking, com 87,7% dos homicídios causados por revólveres. Metade das mortes de jovens por qualquer causa no Estado foi provocada por armas de fogo.

No Brasil, o índice foi de 75,3% e 31,2%.Comentários dos leitores"Vamos exigir do governo de Pernambuco que peça a ajuda da força de segurança nacional, para combater a violência de Recife, já que o governo nega verbas para esse fim. Não podemos ficar de braços cruzados, esperando por milagres. Temos que acabar com esse título da capital mais violenta do Brasil!!!", Wilson, por e-mail"É uma vergonha pra nós recifenses e pra Recife ser conhecida como a capital mais violenta do Brasil. Políticos, onde estão as suas vergonhas?", Wilson, por e-mail

FALTA DE ATENÇÃO DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO RECIFE

A Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (SEEL) não respeita a arte-educação como uma forma de desenvolvimento dos estudantes da Rede Municipal de Ensino. Faz quase 4 meses, que o Programa FALE de inclusão social e exercício da cidadania da SEEL não é renovado por causa da burocracia e mais de 35 joves-educadores sociais foram colocados para fora. Enquanto isso, os estudantes das escolas de 3º e 4º ciclos estão abandonados pela falta de atenção da secretaria.

Estado inaugura primeiras unidades sentinelas em saúde do trabalhador

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) inaugurou duas primeiras unidades sentinelas que vão identificar acidentes de trabalho em Pernambuco. Pela primeira vez, o Estado irá conhecer dados próprios que poderão contribuir para políticas públicas mais consistentes. Duas solenidades de inauguração já estão marcadas para acontecer nos hospitais que vão receber os novos setores – às 9h, no Jaboatão Prazeres, e às 14h, no João Murilo, em Vitória de Santo Antão. “A partir de agora, vamos descobrir quem foi vítima de um acidente de trabalho e deu entrada no serviço público de saúde”, diz Gildázio Moura, gerente de Saúde do Trabalhador. “Antes, uma pessoa que caía de uma moto e dava entrada num hospital era apenas registrado como um acidente de trânsito. Agora, se essa mesma pessoa estava entregando uma pizza, também será computada como uma vítima de um acidente de trabalho”, exemplifica o gerente. Todos os profissionais já foram capacitados para atuar nas duas unidades sentinelas, equipadas com mobiliário novo, computadores e impressoras para o funcionamento imediato das atividades. O grande benefício de fazer o registro dos dados, para Gildázio Moura, é a criação de uma política estadual que possa minimizar os acidentes de trabalho. “Só poderemos construí-la, se tivermos essas informações”, frisa o gerente. Ele salienta também que as atuais ações voltadas ao trabalhador no Estado são orientadas a partir dos números de acidentes colhidos pelo INSS, em anos anteriores. “Mas temos que lembrar que, em Pernambuco, apenas 30% da população economicamente ativa está no mercado formal, trabalhando com carteira assinada”, afirma. De acordo com o gerente, até o final de 2010, o objetivo é instalar mais 29 unidades sentinelas em hospitais de média e alta complexidade ao longo de todo o Estado (confira abaixo onde elas estarão localizadas). Cada uma delas estará ligada ao Sinam-net, sistema que contabiliza os dados e permite a interligação entre os oito Centros Regionais de Saúde do Trabalhador (Cerest) e a Rede Nacional de Saúde do Trabalhador (Renast). Gildázio Moura foi o mentor de um estudo inédito, em 2008, para saber quantos acidentes de trabalho poderiam ser computados se fosse instalada uma unidade sentinela no Hospital da Restauração. Durante as 720 horas de análise, foram registrados 542 casos. Ou seja, aproximadamente a cada hora, um acidente de trabalho é registrado na unidade de saúde, sendo a maior parte ligada à construção civil.

COMUNIDADES RECEBEM OFICINAS DE CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL

A Prefeitura do Recife, por meio da Autarquia de Saneamento do Recife (Sanear), iniciou na última terça-feira (28) mais uma ação do projeto DRUP (Diagnóstico Rápido de Urbanização Participativa). Até a próxima sexta-feira (31), moradores das comunidades Mangueira da Torre e Santa Luzia, no bairro da Torre, serão capacitados na perspectiva de construir uma consciência ambiental. Também participam da iniciativa técnicos do órgão municipal que trabalham na área. A atividade visa promover, numa experiência conjunta de habitantes das localidades que passam por intervenções da Sanear e profissionais da PCR, um levantamento dos problemas e potencialidades da região assistida e, a partir disso, elaborar um planejamento de ações em benefício da população.
Serviço:
Mangueira da Torre
Horário: 8h
Endereço: Rua Demóstenes de Olinda, S/N. Torre.
Ponto de Ref.: Após o colégio Equipe, de esquina com a Av. Beira Rio.
O DRUP será realizado na antiga praça.
Santa Luzia
Horário: Tarde
Endereço: Rua Jornalista Luís Teixeira. Torre. (CEPAS)
Ponto de Ref.: Fica ao Lado da Igreja Presbiteriana da Torre.
No dia 29, o DRUP será realizado na Rua Cantora Clara Nunes, S/N. Torre.

ESPETÁCULO RETRATA A INFLUÊNCIA DO POVO NEGRO NA DANÇA POPULAR

Com um dinamismo e um dançar irreverente, o Grupo Balé Chegança esta com o seu mais novo espetáculo de dança Quem me chamou - A influência do povo de matriz africana na dança popular em cena. Trata-se de um espetáculo de matriz africana e dança popular em conjunto com atividades espontâneas de expressões cênicas visuais e musicais, aliadas ao conjunto de idéias, crenças, conhecimentos e costumes. Neste contexto, os elementos humano-branco, negro e índio, unirão suas tradições proporcionando um quadro de danças das mais belas e mais ricas em todos os setores folclóricos. As coreografias irreverentes, mas sem deixar de preservar a originalidade dos passos e danças, retratam o folclore por assim dizer “alma do povo que se manifesta”. Exalta os folguedos populares de maneira informativa, criativa, dinâmica e de fácil compreensão, onde todos os segmentos da sociedade tenham acesso. O espetáculo criado para preservar, valorizar e difundir os aspectos da cultura negra e daí tornarem-se, uma referência de uma roupagem de qualidade m espetáculos.

Quem me Chamou é um palco popular, espontâneo tradicional, anônimo, funcional, coletivo, atual e sabedoria popular. O grito do povo negro pela sua história, sua crença e sua cultura popular. Em cartaz no Teatro Armazém 14, no dia 24/07, às 20h, e no dia 26/07, às 16h, com as participações especiais do Afoxé Obá Airá e DJ Embolata. O espetáculo é um resultado artístico pedagógico de 30 jovens do Balé Chegança do Movimento Cultural Fazendo Arte (MCFA) que durante um ano pesquisaram e trabalharam a origem do povo de matriz africana a partir da realidade da comunidade onde moram. MCFA - O Movimento Cultural Fazendo Arte foi fundado em 12 de fevereiro de 2000, através do contato do arte-educador Genivaldo Francisco com um grupo de rapazes que viviam na comunidade em situação de risco social. O objetivo do coreógrafo era fazer algo que transformasse a vida daqueles rapazes. Em oito anos de existência, o movimento vem encontrando nas diversas expressões artísticas e culturais o caminho e a força para mobilizar os jovens, contribuindo para que cada participante construa sua identidade. Atualmente o grupo tem 250 jovens que estão divididos em seis grupos culturais, nas áreas de dança, teatro e música. A entidade promove a inclusão de adolescentes e jovens em situação de risco social, estimulando a auto-estima através da arte, na comunidade San Martin, localizada na zona oeste do Recife.