Paróquia de Apipucos celebra a Festa de Nossa Senhora das Dores 2017 nesta sexta

Entre os dias 08 e 17 de setembro, acontece mais uma edição da Festa de Nossa Senhora das Dores, padroeira de Apipucos no Recife.

A Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Apipucos, Zona Norte do Recife, homenageia a partir desta sexta-feira, 8, a sua padroeira. Os dez dias de festa têm como tema ‘Os Padres da Igreja e a Mãe de Deus’ com a coordenação do Padre José Severino Silva.

A festividade começa dia 08/09 com a Procissão da Bandeira, às 18h, saindo da Rua dos Caetés até a Rua Apipucos. Na Matriz às 18h30 terá o novenário e depois às 19h30 a celebração da Santa Missa.

Entre os dias 08 e 17/09, haverá as novenas sempre a partir das 18h30 e as missas às 19h30 com a participação de padres, comunidades, movimentos, pastorais e grupos convidados de outras Paroquias da Arquidiocese.

Já no domingo, 17/09, dia do encerramento das festividades, a programação começa às 17h30 com o Terço e logo após as 18h a procissão do andor com a imagem de Nossa Senhora das Dores, saindo da Rua Dom Malan, no Monteiro, com destino a Matriz em Apipucos e às 19h, os devotos participam da Celebração Eucarística de encerramento. Maiores informações: 3268-5716.

Bairro recifense que talvez se enquadrasse melhor como área rural


“Isso aqui é uma maravilha! Acordo com os passarinhos”, garante, entusiasmado, o zelador Severino Nunes, 69 anos. Há uma década ele mora e trabalha em Sítio dos Pintos, bairro recifense que talvez se enquadrasse melhor como área rural, tamanha a presença de vegetação, estradinhas estreitas e terrenos sem construções. 

A paisagem chega a ser bucólica em alguns momentos. Pequenos bosques, árvores, barulhinhos de pássaros e outros pequenos animais; galinhas, vacas e cabras passando às margens da rua. Há quem afirme também que a água que brota fácil na região é mineral. Um ambiente reforçado pelo nome de algumas vias, como a Rua do Afeto. Este isolamento campal tem atraído, inclusive, famílias abastadas que erguem casarões para fugir do estresse recifense. No entanto, a sensação de vida no campo é entrecortada pelos aglomerados de casebres e pequenos comércios populares (principalmente à beira da estrada). 

Misturas sociais à parte, Sítio dos Pintos abriga pontos interessantes entre suas matas. Um deles é uma das muitas unidades pernambucanas do Vale do Amanhecer, templo espiritualista cristão que atrai centenas de pessoas semanalmente, em busca de amparo espiritual e da água especial servida no local. Em uma ampla estrutura com ambientes diversos e coloridos para receber os visitantes, o santuário e seus adeptos prestam seus serviços gratuitamente e são conhecidos por todos no bairro. 

Confundido geralmente com uma comunidade do bairro de Dois Irmãos – que tem área três vezes maior e cerca o “irmão menor” –, Sítio dos Pintos também faz divisa com o município de Camaragibe. O posicionamento geográfico talvez reserve alguma prosperidade para o “sí- tio”, que fica muito próximo a São Lourenço da Mata, onde está sendo construída a Cidade da Copa, principal investimento em Pernambuco para o Copa de 2014.

Uma nova opção de lazer e diversão no bairro de Dois Irmãos


Uma nova opção de lazer e espaço de entretenimento já está funcionando a todo vapor no bairro de Dois Irmãos, na zona norte do Recife. O Caldinho das Meninas abriu suas portas há 1 ano, um empreendimento de tirar o chapéu com administração do casal Fabiana Bezerra e Eusebio Silva. 

A mistura de ritmos faz parte da identidade do espaço e quem marcar presença por lá pode esperar por estilos variados de músicas. Uma programação diversificada durante todos os fins de semana, nas sextas com Dj Tonelada Som e nos sábados com Grupo Recomeçar com Pressão, a partir das 21h. O Caldinho fica localizado na Avenida Professor Cláudio Selva, em Dois Irmãos, e é um novo empreendimento que vem garantindo investimento na economia regional no Recife.

Barreira tira sono de moradores de Sítio dos Pintos

A equipe da TV Tribuna (Canal 4) no Recife estiveram em Sítio dos Pintos para fazer uma reportagem sobre a situação da barreira que tira sono de moradores do Alto da Boa Esperança.

Deslizamento e queda de barreira preocupam moradores do Alto da Boa Esperança

A situação é alarmante para os moradores da região conhecida como Alto da Boa Esperança, em Sítio dos Pintos, bairro da zona norte do Recife. Os moradores da localidade já acionaram a Codecir - Defesa Civil do Recife - Prefeitura do Recife já faz alguns dias para vistoriarem algumas casas devido as chuvas, o medo de deslizamento de barreira pelos populares tem aumentado. 

Foi o caso da residência de Celi Nunes, que mora com sua família e que tem os fundos da sua moradia sempre invadida por lama quando chove. O contato com a Defesa Civil foi feito pela moradora (Protocolos: 8049710117 e 20175850), mas até o momento ninguém se deslocou ao local. A preocupação da dona de casa é devido ao risco em caso de mais chuvas e além de outros problemas como a infiltração da rede de esgoto na região que pode aumentar a possibilidade de uma tragedia. 

 Moradores já solicitaram a colocação de lonas de contenção para prevenir contra futuros incidentes. Segundo os moradores da região, as cerca de 10 casas sofrem desabamentos ou estão prestes a desabar. Os moradores reclamam, ainda, da falta de ação de alguns órgãos que prometeram melhorias e que nunca cumpriram. Muitas casas se encontram a poucos metros da encosta que, a cada chuva, aproxima-se mais, destruindo aos poucos a residência dessas famílias e causando danos materiais a elas.

Dia de mutirão de limpeza, combate ao lixo irregular e criação do Jardim Comunitário em Sítio dos Pintos

ANTES
Ação é fruto do trabalho da campanha de conscientização “Comunidade Limpa Povo Educado” realizado pelos grupos da comunidade 

HOJE
O trabalho de conscientização feito por grupos de moradores e órgãos públicos para conservação da limpeza na comunidade tem começado a dar bons frutos em Sítio dos Pintos, zona norte do Recife. Em parceria com a Escola Municipal Mundo Esperança, Emlurb e comerciantes, os moradores da comunidade de Sítio dos Pintos realizarão esta semana, um mutirão para acabar com o ponto de lixo da Rua São Pedro com a Estrada dos Pintos. Os moradores farão nesta terça-feira (dia 30) a mobilização “Porta-Porta” para orientar a população que evitem jogar lixo no local e na quarta-feira (dia 31) serão recolhidos os entulhos e, no lugar do lixo, serão plantadas mudas de plantas no “Jardim Comunitário”. 

Segundo o coordenador do Grupo Compasp, Betinho José da Silva, as ações de conscientização estão sendo desenvolvidas em todos os meios, desde as redes sociais até reuniões. Tudo isso para que a comunidade adote o local contribuindo para a preservação e manutenção. "Apesar da coleta domiciliar ser regular, algumas pessoas acham normal depositar lixo nesse local, sujando a comunidade e trazendo problemas aos vizinhos. Estamos fiscalizando e buscando alternativas com o apoio da própria comunidade para dar um fim a esse ponto", afirmou Betinho. 

Moradora da região há mais de 29 anos, Tereza Pereira, faz questão de ajudar na Campanha que tem o título “Comunidade Limpa Povo Educado”. Ela conta que a prefeitura limpa o local pela manhã e no mesmo dia à tarde já tem lixo novamente, atraindo ratos, baratas e outras pestes que proliferavam e invadiam as casas vizinhas até própria escola. "Faço a minha parte como cidadã e acho muito boa a iniciativa. Assim melhora o lugar em que vivemos, ajuda o meio ambiente e faz com que cuidamos e vigiamos o local", disse. 

Serviço: 
Dia 30/05 - Porta-porta na comunidade 
Dia 31/05 - Mutirão de limpeza e criação do Jardim Comunitário 
Horário - A partir das 9h 
Local – Estrada do Sítio dos Pintos próximo a Escola Municipal Mundo Esperança

População reclama da qualidade da água em Sítio dos Pintos no Recife

Moradores do bairro de Sítio dos Pintos, na Zona Norte do Recife, cobram uma melhor qualidade da água que é distribuída na comunidade. A reclamação é que a água tem apresentado uma cor esbranquiçada e cheiro e gosto forte de cloro. 

Uma moradora fez o questionamento em sua publicação na rede social. “Gente vocês tão percebendo como estar nossa água aqui, todos ficam com os olhos doendo com o cloro da água, a gente tá cobrando para tomar e quando lava roupa tem roupa que as cores já ficam diferente”. 

Outra moradora vem enfrentando o mesmo problema. “E mesmo. Aqui ficamos com os olhos ardendo também depois de lavar o rosto e a água tá com muito cloro mesmo. Muita gente não tem condições de comprar água todos os dias”. 

Já em outra parte da comunidade, para tentar deixar a água melhor para o consumo, outra moradora tem adotado técnicas. “Eu coloco a água em dois garrafões e depois de alguns dias utilizo. Isso melhora um pouco”, relata.

O radialista Betinho José, morador há 28 anos da localidade, reforça as reclamações das moradoras. "Algum tempo água vem com muito cloro mesmo, fica dificil até para tomar banho.  A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) precisa enviar uma equipe de controle de qualidade para verificar a situação da água na comunidade".

Reportagem da TV Clube sobre as obras da creche-escola de Sítio dos Pintos em Dois Irmãos

 

Nesta terça-feira (04) a equipe da TV Clube Pernambuco / Record TV realizou reportagem sobre as obras inacabadas do CMEI de Sítio dos Pintos, na zona norte da capital pernambucana. Moradores da comunidade do Sítio dos Pintos, no bairro de Dois Irmãos, no Recife, não sabem mais a quem recorrer para que a creche que começou a ser construída no local seja finalmente concluída. As obras foram iniciadas há sete anos, mas os trabalhos simplesmente foram paralisados.

Fonte: TV Clube PE

Limpeza, lixo e políticas sociais preocupam os moradores de Sítio dos Pintos mostra pesquisa de opinião

Mais uma parte do resultado da Pesquisa de Opinião realizada com os moradores de Sítio dos Pintos sobre #LIMPEZA #LIXO e #POLÍTICASSOCIAIS na comunidade. 



A pesquisa aconteceu no mês de Fevereiro/2017 através das redes sociais com a participação dos moradores da comunidade respondendo o questionário com diversas perguntas sobre os problemas que preocupa o bairro de Sítio dos Pintos. O público participante foi 56% feminino e 44% masculino. 

Creche vira obra parada em matagal

Mais uma obra parada. Dessa vez, uma creche. E ninguém fala nela. É sempre assim. Os gestores públicos anunciam as obras, colocam placas espalhafatosas, com prazo de conclusão, para que chamem atenção da população e de eventuais eleitores. Está se fazendo isso, está se fazendo aquilo. E elas aumentam, quando se aproximam as campanhas eleitorais. Depois, essas obras não terminam, as placas são retiradas, para que a população esqueça que ali foi enterrada uma montanha de dinheiro público. É o exemplo do Programa “Rios da Gente”, onde primeiro se cobriu com tinta preta a logomarca do Governo de Pernambuco, quando tudo parou. Depois, a placa foi totalmente arrancada, às margens da BR-101, onde o antigo canteiro de obras  vem sendo transformado em depósito de lixo, enquanto as carcaças das dragas abandonadas ao ar livre, sofrem a pressão da ferrugem.
Na área do município, não são poucas as obras também inacabadas. Dois exemplos significativos são a ponte que ligaria os bairros de Monteiro e Iputinga, que desafogaria o trânsito na Zona Norte. No local, só restam bases de concreto e vergalhões de ferro retorcidos. As estruturas hoje servem para que jovens da comunidade local improvisem sessões de rapel. Outro exemplo é a Unidade de Educação Infantil do Sítio dos Pintos, que deveria ter ficado pronta em janeiro de 2013, e na qual foi enterrada a bagatela de R$ 1,385 milhão.  A creche é resultante de parceria entre o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação e a Prefeitura. Fica perto da Universidade Federal Rural de Pernambuco, e atenderia às crianças de Apipucos, Monteiro, Dois Irmãos e Casa Forte. E de comunidades carentes da área, como Serra Pelada e Favela do Detran. Professores da UFRPE que fazem trabalho social naqueles bairros, até já se mobilizaram para que a construção seja retomada. Mas os apelos à Prefeitura do Recife foram em vão.
Até o ano passado, a placa ainda estava lá, com nome da empreiteira, órgãos envolvidos, valor destinado à construção do prédio, prazo de conclusão. Agora, como que para encobrir mais um desperdício, não há mais nenhuma indicação visível sobre origem e destino da creche, cujas construção deveria ter sido retomada no segundo semestre de 2015, segundo informou na época a Prefeitura. Pois está tudo do mesmo jeito. A creche se integra ao acervo de obras paradas, o que se tornou comum, em Pernambuco e no Recife, onde o seu, o meu, o nosso dinheiro vive sendo enterrado. Fiquei triste, ao ver a cena, durante minha caminhada matinal por aquelas bandas, nesta semana. Será que as autoridades se preocupam com as mães que, sem condições de pagar babás, deixam de trabalhar porque não têm com quem deixar os filhos?
Fonte: #OxeRecife